PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Rafinha lembra 'baque' em saída de Jesus e exalta Dome: 'Sabe tudo de bola'

Rafinha recorda saída de Jorge Jesus do Flamengo e exalta Dome - Renato Padilha/AGIF
Rafinha recorda saída de Jorge Jesus do Flamengo e exalta Dome Imagem: Renato Padilha/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/09/2020 01h11

Recém-contratado pelo Olympiacos, da Grécia, o lateral-direito Rafinha recordou o "baque" causado pela saída do técnico Jorge Jesus do Flamengo. Em entrevista ao "Aqui com Benja", do Fox Sports, o jogador conta que o português foi cobrado pelo elenco durante as finais do Campeonato Carioca, mas que só confirmou a transferência para o Benfica após a conquista do título.

"Foi triste. A gente já estava ouvido falar da saída dele, mas ninguém acreditava. No segundo jogo (da final contra o Fluminense), a gente foi perguntar para ele. Ele não falava nada; não tinha nada certo ainda. (...) Para nós, foi um baque. Era um pai para nós. Foi triste, um golpe muito duro. Acho que a decisão que ele tomou, para vida dele, foi a correta. Espero que ele tenha sucesso", afirmou Rafinha em entrevista exibida ontem (13).

Aos 35 anos e com carreira majoritariamente no futebol europeu, o lateral-direito colocou Jesus entre os quatro melhores treinadores com quem já trabalhou. Grato ao "velhinho", o Rafinha afirmou que o português foi fundamental para o sucesso do Flamengo.

"Eu achava que não ia aprender mais nada, mas aprendi muito. Só tenho a agradecer a aquele velhinho. Foi fundamental para nós. (...) A gente ficava na tensão de sempre estar bem, foi um casamento fenômeno. Aprendi muito com ele. Só tenho a agradecer. Coloco entre os quatro melhores treinadores que eu peguei na carreira", completou.

Em relação a um possível interesse do Benfica, Rafinha assegura que seu ex-técnico não tentou levá-lo para o futebol português. Segundo ele, J. Jesus não tem a intenção de desfalcar o antigo clube.

"Não tentou (me levar para o Benfica). O Mister foi bem nas palavras: não queria levar os jogadores do Flamengo para lá. Acho que ele deve ter falado com a diretoria do Flamengo. Falo com ele direto,mas nossa conversa não é nada a ver com o futebol. Virou um amigo, conversa de pai", relatou.

'Dome era influente na decisão do Guardiola'

Em relação ao novo técnico do Flamengo, o catalão Domenèc Torrent, Rafinha pediu paciência ao imediatista futebol brasileiro. Tendo trabalhado com o então auxiliar de Pep Guardiola por três anos no Bayern de Munique, o lateral elogiou ao atual comandante rubro-negro.

"É um cara que dispensa comentários. Entende muito de futebol, e tem muito a acrescentar ao Flamengo. Só que é aquele negócio, no futebol brasileiro não tem tempo para nada. Então fica nessa: o cara perde um ou dois jogos e já colocam em dúvida o trabalho dele. Isso não é com o Dome no Flamengo, é com todos os treinadores. Não é assim. Olha só o Liverpool. A gente tem que paciência e saber que precisa de tempo para trabalhar", defendeu Rafinha, que recordou sua passagem pelo time alemão:

"Ele (Dome) dava o treino e o Guardiola só ficava corrigindo. Ele era o responsável por tudo. O Dome, eu falo com propriedade, tinha muita voz. O Pep ouvia muito. Esse cara entende muito de futebol, é muito inteligente, sabe tudo de bola. Veio do Barcelona, teve sucesso, foi para o Bayern e fez sucesso, foi pro City. Ninguém fica tanto tempo com o Guardiola, que é um treinador que está sempre no teto; se não está na perfeição, está ao lado dela. Dava opinião, passava tudo, dava treino, opinião de posicionamento de jogador. Não tem como o Guardiola decidir tudo sozinho, dar conta de tudo sozinho. Dome era influente na decisão do Guardiola", complementou.

UOL Esporte vê TV