PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Corinthians desembarca em SP com tumulto e atletas correndo de torcedores

Do UOL, em São Paulo

13/09/2020 23h44Atualizada em 14/09/2020 12h30

Foi bastante tenso o retorno da delegação do Corinthians para a cidade de São Paulo, na noite de hoje (13), após enfrentar o Fluminense no Maracanã. Jogadores foram xingados e empurrados por um grupo de torcedores que esperava o desembarque no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Mais cedo, a equipe perdeu por 2 a 1. As imagens são do programa "Mesa Redonda", da TV Gazeta.

O grupo de torcedores iniciou o tumulto quando os jogadores apareceram na área externa do aeroporto. O primeiro alvo foi o volante Ederson, que mesmo protegido por seguranças foi xingado e empurrado. Em seguida os atletas tiveram que correr até o ônibus do Corinthians, que estava estacionado a algumas dezenas de metros.

A confusão aumentou perto da porta do ônibus, onde os agressores se aglomeraram. Ao entrar no veículo, Ángelo Araos tomou um empurrão; minutos depois seguranças tiveram que abraçar o goleiro Cássio para afastá-lo de quem o seguia; e na sequência um dos homens mais exaltados encarou o lateral Michel Macedo gritando e com dedo em riste.

Procurado, o Corinthians informa que nenhum atleta ficou ferido.

Dentro de campo o Corinthians vive má fase, agravada pela derrota de hoje para o Fluminense. O time tem nove pontos no Campeonato Brasileiro e está fora da zona de rebaixamento por causa dos critérios de desempate. A equipe volta a campo às 21h30 (de Brasília) desta quarta-feira (16), para enfrentar o Bahia, na Neo Química Arena.

Episódios de violência não são novidade nesta temporada do futebol brasileiro. Há nove dias, dezenas de pessoas invadiram o estádio Orlando Scarpelli durante um treino do Figueirense. Houve várias tentativas de agressão aos jogadores, e o grupo de agressores se dispersou antes da chegada da Polícia Militar. Na semana passada, atletas de vários clubes — incluindo os corintianos — protestaram no primeiro minuto dos jogos da nona rodada do Brasileirão, cruzando os braços em repúdio ao ocorrido.

Também não é a primeira vez que jogadores do Corinthians são atacados por membros da própria torcida. Em um episódio que ficou famoso, em 2014, cerca de 100 pessoas invadiram o Centro de Treinamento do clube, fizeram exigências e só saíram depois de conversar com o então técnico corintiano, Mano Menezes. Na ocasião, alguns jogadores tiveram que se esconder na sala de máquinas da piscina do CT.

Corinthians