PUBLICIDADE
Topo

Santos

Justiça mantém contrato de Everson com o Santos e extingue processo

Everson com a camisa do Santos - Ivan Storti/Santos FC
Everson com a camisa do Santos Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

25/08/2020 09h52

A Justiça do Trabalho negou ao goleiro Everson o pedido de rescisão de contrato com o Santos e extinguiu o processo. Assim, Everson segue vinculado ao Peixe.

O juiz Wildner Izzi Pancheri acatou o pedido do Santos, que pediu que o processo fosse extinto sem resolução do mérito com base em uma cláusula prevista no contrato de trabalho do jogador. O processo cita a "cláusula compromissória".

"...as PARTES reconhecem a jurisdição e competência da Câmara Nacional de Resolução de Disputas da Confederação Brasileira de Futebol (CNRD - CBF), elegendo-a, com exclusão expressa de qualquer outro foro, por mais privilegiado que seja para dirimir conflitos decorrentes deste instrumento. As PARTES aceitam a jurisdição do Centro Brasileiro de Mediação e Arbitragem - CBMA, com sede no Rio de Janeiro, para dirimir em grau de recurso as decisões proferidas pela CNRD", parte retirada do processo.

Apesar desse pedido preliminar, o Peixe também se defendeu das alegações de Everson caso o juiz julgasse o mérito do processo. O goleiro pedia rescisão contratual com o clube da Vila Belmiro baseado em atrasos no pagamento de direito de imagem, FGTS e corte salarial de 70% sem anuência dos jogadores do santistas.

No processo movido por Everson, houve citação à questão da CNRD. Os advogados do goleiro defenderam que a CNRD não era o local apropriado para tal decisão, o que foi negado pelo juiz com base no contrato de trabalho previamente assinado.

O processo extinto não impede que Everson entre novamente contra o Santos, desta vez na Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD), como prevê o contrato de trabalho jogador. Não há posição por parte do atleta ainda.

Santos