PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Cano lidera Vasco, reforça lado artilheiro e supera até Gabigol em números

Germán Cano tem sido um dos líderes do Vasco nesta temporada - Rafael Ribeiro / Vasco
Germán Cano tem sido um dos líderes do Vasco nesta temporada Imagem: Rafael Ribeiro / Vasco

Alexandre Araújo

Do UOL, no Rio de Janeiro

21/08/2020 04h00

A fase iluminada de Germán Cano tem feito do atacante um dos líderes de um Vasco que, até aqui, está com 100% de aproveitamento no Campeonato Brasileiro. Com três gols em três jogos, ele conduz o líder da competição - com um jogo a menos disputado. E o sucesso do camisa 14 pode ser traduzido em números: de 2018 para cá, o atacante tem média melhor até mesmo que Gabigol, artilheiro da Série A 2019 e uma das referências na posição quando o assunto é colocar a bola dentro do gol.

Nas últimas três temporadas, quando ambos reencontraram o caminho das redes após temporadas irregulares, Cano tem um média de 0,76 gol por jogo, contra 0,63 gol por jogo do camisa 9 rubro-negro.

A bola na rede contra o Ceará, que abriu o placar da partida, inclusive, fez com que o camisa 14 do Vasco chegasse a 12 gols em 2020, mesmo número do camisa 9 comandado por Domènec Torrent. A média do vascaíno, porém, é melhor, uma vez que atuou em 16 jogos, contra 18 do rival.

Em números absolutos de bolas na rede, de 2018 até aqui, Cano só perde para Gabigol ano ano passado, quando a "plaquinha foi levantada" em 43 oportunidades, enquanto o vascaíno — à época pelo Independiente Medellín, da Colômbia — fez 41.

Em média de gols, porém, o argentino leva a melhor que Gabigol nas três últimas temporadas tanto individualmente quanto somadas (veja mais abaixo).

Gabigol chegou à Gávea no começo de 2019 e, com títulos importantes na conquista de títulos, como foi o caso da Libertadores, caiu nas graças da torcida do Flamengo. Da febre da placa "Hoje tem gol do Gabigol" a funk, atualmente, o camisa 9 tem produtos especiais e se tornou um dos pilares da equipe.

Gabigol comemora gol do Flamengo contra o Grêmio - Bruno Baketa/AGIF - Bruno Baketa/AGIF
Imagem: Bruno Baketa/AGIF

Germán Cano, por sua vez, chegou a São Januário para a atual temporada, após um intenso movimento da torcida, que pediu a contratação do jogador, e fez a diretoria "sacrificar" parte do orçamento.

Sem poder fazer "loucuras" financeiras por reforços, o presidente do clube, Alexandre Campello, foi à Buenos Aires, Argentina, se encontrar pessoalmente com o atacante, que estava livre de contrato após passagem marcante pelo Independiente Medellín (COL), pelo qual foi artilheiro do Campeonato Colombiano duas vezes consecutivas.

Atualmente, Germán Cano possui o maior salário em CLT do elenco cruz-maltino. Todos os outros reforços de 2020 fecharam vencimentos mais modestos e dentro da realidade do clube. O esforço, porém, parece ter valido a pena.

Gabigol tem brilho mais cedo

Vale ressaltar, porém, que Cano atingiu esse bom momento em uma idade mais avançada que Gabigol. O argentino, de 32 anos, tem atuação sólida no futebol brasileiro e conseguiu bons números na Colômbia depois de passagens pelo México e pela própria Argentina.

Já Gabriel, de 23 anos, desde cedo apontado como joia do Santos. Estourou no futebol e logo foi vendido para a Inter de Milão, da Itália. Na Europa, não conseguiu engrenar e retornou para o Peixe, onde viveu boa fase antes de chegar ao auge no Flamengo.

Gabigol:

2018: 52 jogos e 27 gols - média de 0,51 gol/ jogo
2019: 59 jogos e 43 gols - média de 0,81 gol/jogo
2020: 18 jogos e 12 gols - média de 0,66 gol/jogo

Total: 129 jogos e 82 gols - média de 0,63 gol/jogo

Germán Cano:

2018: 49 jogos e 33 gols - média de 0,67 gol/jogo
2019: 47 jogos e 41 gols - média de 0,87 gol/jogo
2020: 16 jogos e 12 gols - média de 0,75 gol/jogo

Total: 112 jogos / 86 gols - Média de 0,76 gol/jogo

Vasco