PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2020

Com Fluminense sob pressão, 'cria' Odair reencontra um Internacional 100%

Odair Hellmann, técnico do Fluminense - Lucas Merçon / Fluminense F.C.
Odair Hellmann, técnico do Fluminense Imagem: Lucas Merçon / Fluminense F.C.

Alexandre Araújo e Marinho Saldanha

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS)

16/08/2020 04h00

O técnico Odair Hellmann terá uma experiência diferente nesta noite (16), no Maracanã. Criado no Beira-Rio e com a carreira intimamente ligada ao Internacional, o hoje técnico do Fluminense terá o Colorado no lado oposto pela primeira vez em jogos oficiais no duelo de logo mais, pelo Campeonato Brasileiro. Saudosismos à parte, o comandante tricolor busca a ainda inédita vitória na competição para aliviar a pressão nas Laranjeiras. Já a equipe de Eduardo Coudet venceu as duas primeiras partidas e está com 100% de aproveitamento até aqui.

Apesar de ser um daqueles confrontos entre o técnico e o ex-time, o jogo não chega a ter ares de "criador x criatura". Após a saída de Odair, o Inter realizou uma ruptura na filosofia até então implementada e começou quase que do zero com o técnico argentino. Enquanto isso, no Fluminense, o treinador, que chegou ao Tricolor no início do ano, ainda busca corrigir erros e achar o melhor esquema, principalmente no setor ofensivo.

O comandante do time carioca não esconde o carinho que guarda pelo adversário de hoje e faz elogios ao trabalho desenvolvido no Beira-Rio, salientando a dificuldade que a partida promete ter. Porém, ressalta que vai brigar para que o Tricolor saia de campo com os três pontos e o primeiro triunfo no torneio.

"Duelo contra o Inter, onde tive a oportunidade de ficar quase dois anos como treinador. Tenho muito carinho, gratidão e respeito por tudo que o Internacional me proporcionou como profissional do futebol. Tenho muitos amigos. Participei de um momento de recuperação do clube, junto com muitas pessoas, saindo de uma Série B [do Brasileiro], chegando em terceiro no Brasileiro de 2018, disputando duas finais em 2019... Acho que foi um belo trabalho de reconstrução, tendo continuidade agora com o Coudet, que está fazendo um bom trabalho", disse.

"Está iniciando bem o brasileiro, com duas vitórias. Jogo extremamente difícil, equipe do Inter é bastante intensa, com muita qualidade, mas futebol de alto rendimento exige alto rendimento dos profissionais. Eu preciso separar as coisas, como sempre fiz na minha carreira. Agora, defendo o Fluminense. Estou dando a vida aqui, me esforçando ao máximo para que a gente consiga as vitórias e esse jogo é muito importante. Estamos focados nessa partida porque, sempre falo, o próximo jogo é o mais importante. Temos de estar concentrados e pode ter certeza que vamos lutar do primeiro ao último segundo para conquistar a vitória", completou.

Começo e ligação com o Internacional

Ainda jovem, o então volante Odair chegou ao Inter para a base e morou no antigo alojamento, no Beira-Rio. Treinava nos campos suplementares que não existem mais desde a reforma no estádio para Copa do Mundo de 2014. E foi vestindo as cores do clube que virou profissional.

Técnico Odair Hellmann comemora gol do Internacional com jogadores no Beira-Rio - Jeferson Guareze/AGIF - Jeferson Guareze/AGIF
Imagem: Jeferson Guareze/AGIF

A vida do futebol o levou para outros destinos depois. Campeão da Copa São Paulo de 1998, não teve muitas chances no elenco principal e acabou negociado. Jogou no Fluminense, na Suécia, em outros clubes do país. Até que acabou vítima do acidente com a delegação do Brasil de Pelotas, em 2009. Ali, optou por encerrar a carreira de atleta.

Fora das quatro linhas, estudou, se especializou, e procurou o Inter para primeira chance como técnico. Virou auxiliar da base até que Dunga lhe abriu as portas no principal. Foi interino algumas vezes até ser efetivado para 2018.

'Papito', como é chamado, deixou muitos amigos no Beira-Rio e recebe elogios, mesmo depois de sua demissão do cargo de técnico, no ano passado, sem conquistas. O vice-campeonato da Copa do Brasil, com a derrota em casa para o Athletico-PR, pesou bastante e acabou marcando a passagem que se solidificou a partir da recuperação do clube depois da Série B.

A direção optou por mudar. E a troca não foi apenas de nomes, mas de ideias. O modelo adotado por Odair praticamente não se vê no Inter de hoje. Com Eduardo Coudet, o time tem outra postura e outra formação. Odair se pautava por um sistema defensivo sólido, Coudet monta o Inter totalmente ofensivo.

No Flu, busca pela melhor formação e pressão

Odair acertou com o Tricolor para a temporada 2020 e teria a missão de comandar um elenco que, no ano anterior, teve Fernando Diniz, Oswaldo de Oliveira e Marcão como técnicos.

Sede do Fluminense teve muros pichados após empate com o Palmeiras, pelo Brasileiro - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

A equipe foi para a paralisação do Campeonato Carioca, devido à pandemia de coronavírus, com a melhor campanha geral. A eliminação ainda na primeira fase da Copa Sul-Americana - após dois empates com o Unión La Calera, do Chile -, porém, diminuiu o "lastro" de Odair junto à torcida do Flu.

Na retomada do futebol, conquistou a Taça Rio, segundo turno do Estadual do Rio, e fez jogos elogiáveis frente a um favorito Flamengo, mas, mesmo assim, o time ainda não engrenou e demonstra algumas falhas. Não à toa, o treinador faz testes e avaliações em relação à formação, principalmente no setor ofensivo.

Até aqui, no Brasileiro, foram dois jogos, com uma derrota para o Grêmio e um empate com o Palmeiras. Na última quinta-feira, o muro da sede do clube apareceu pichado com críticas à diretoria e pedido de saída de Odair.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE X INTERNACIONAL

Data e hora: 16 de agosto de 2020 (domingo), às 18h
Local: estádio Maracanã, no Rio de Janeiro
Árbitro: Raphael Claus (Fifa / SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa / SP) e Fabrini Bevilaqua Costa (Fifa / SP)VAR: Jose Claudio Rocha Filho (SP)

Fluminense: Muriel, Igor Julião, Luccas Claro (Matheus Ferraz), Nino e Egídio; Dodi, Yago Felipe, Michel Araújo, e Nenê; Marcos Paulo e Evanilson. Técnico: Odair Hellmann

Internacional: Marcelo Lomba, Saravia, Bruno Fuchs, Víctor Cuesta e Moisés; Rodrigo Lindoso, Edenílson, Patrick e Boschilia; Thiago Galhardo e Paolo Guerrero. Técnico: Eduardo Coudet