PUBLICIDADE
Topo

Liga dos Campeões 2019/2020

Meia do Leipzig sofreu no PSG em período de fúria de Neymar

Neymar e Christopher Nkunku comemoram o título francês do PSG na temporada 2017-18 - Cees van Hoogdalem/Soccrates/Getty Images
Neymar e Christopher Nkunku comemoram o título francês do PSG na temporada 2017-18 Imagem: Cees van Hoogdalem/Soccrates/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

14/08/2020 04h00

A segunda temporada de Neymar no Paris Saint-Germain ficou marcada pela irritação. E uma das vítimas do descontentamento do brasileiro foi o francês Christopher Nkunku. O meia do Leipzig é cria do clube parisiense, mas por lá encerrou a passagem de maneira traumática, sendo até xingado pelo camisa 10 em um confronto pelo Campeonato Francês.

A bronca pública de Neymar em Nkunku foi na vitória contra o Guingamp por 3 a 1 na temporada passada. Ao ver o francês optar pelo chute ao invés de lhe passar a bola nos minutos finais do primeiro tempo, a reação de nervosismo foi imediata: "vai tomar no c...toca a bola", disparou o camisa 10 em ação flagrada pelo canal Plus da França.

No PSG do passado, Neymar tinha comportamento irritadiço. Jogador de poucos amigos, disparou contra os jovens do PSG quando o time perdeu a final da Copa da França para o Rennes nos pênaltis por 6 a 5 - o jogo terminou empatado por 2 a 2 -, em abril de 2019. Grande parte da mídia francesa ainda interpretou Nkunku, então com 21 anos, como um dos alvos da queixa. O francês sofria pelo fato de ser o único a desperdiçar a cobrança nas penalidades

"Tem que ser mais homem dentro do vestiário, mais unido, todo mundo correr. O que eu vejo ali, tem muito jovem que é um pouco... Não digo perdido, mas falta mais ouvidos do que a própria boca. Algum cara experiente fala, e eles retrucam; o próprio treinador fala, e eles retrucam. Isso não é um time que vai longe, que vai ter sorte no final. A gente sempre acaba pecando nisso", esbravejou Neymar após a derrota.

No processo de descontentamento, a frustração pela perda da Copa da França foi determinante para Neymar definir voltar ao Barcelona. O brasileiro não imaginava encontrar satisfação no PSG. No cenário atual, o camisa 10 é o líder do time sendo fundamental, principalmente, por elevar a confiança do elenco.

"A equipe está confiante e unida. E é óbvio que a confiança do time se reflete nas minhas performances individuais. É a soma de todos os desempenhos individuais e uma equipe forte que nos levará à conquista de títulos", se posicionou Neymar em comunicado divulgado por sua assessoria pessoal.

Em campo, Neymar não mostrou na atual temporada postura de esbravejar com os companheiros. Pelo contrário, é comum ver o camisa 10 dar gritos de apoio aos jogadores em momentos de erro. Um gesto público de xingamento como o visto com Nkunku jamais aconteceu.

Por que Nkunku deixou o PSG?

Na temporada passada, Nkunku disputou 22 jogos, sendo 13 como titular do PSG. Ainda abalado pelo pênalti perdido, o francês escolheu a transferência pelo Leipzig para ter mais minutos em campo. A compra aconteceu em julho por 13 milhões de euros.

No Leipzig, Nkunku atingiu rapidamente o desejado status titular. Fez oito, das nove partidas do time na Liga dos Campeões até o momento. E na campanha da terceira colocação do Campeonato Alemão participou de 32, dos 34 jogos. No total da temporada são 45 jogos e cinco gols marcados

"Christopher Nkunku tem qualidades que buscamos no mercado. É um jogador dinâmico e nos oferece diferentes possibilidades de jogo. Juventude com versatilidade. Gostamos de trabalhar desse jeito", descreveu o diretor esportivo do Leipzig, Markus Krösche recentemente.

Por ser um jogador jovem com potencial, a venda de Nkunku ainda gerou pressão pública no PSG. O clube francês tem histórico de poucas oportunidades aos pratas da casa. Na Liga dos Campeões da temporada passada, ele sequer entrou em campo.

"Os jovens do PSG têm a sensação de que o clube está bloqueado para eles. Qualquer jogador sonha em vencer no seu clube formador, mas em Paris não é fácil. Alguns tiveram sua chance, outros não. Acho que fui paciente, tentei. Mas percebi que para a minha carreira arrancar tinha que procurar outro lugar ", comentou Nkunku em entrevista à revista France Football pouco depois de deixar o PSG.