PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Luxemburgo diz por que não usa Alan mesmo com meias em baixa no Palmeiras

Alan, do Palmeiras, durante treinamento na Academia de Futebol - Cesar Greco
Alan, do Palmeiras, durante treinamento na Academia de Futebol Imagem: Cesar Greco

Do UOL, em São Paulo

14/08/2020 18h49

Classificação e Jogos

Com o desempenho ruim dos meias do Palmeiras, os torcedores questionam com frequência a falta de chances para Alan. O armador de 20 anos de idade deixou uma boa impressão quando entrou nos duelos da Florida Cup, mas segue sem uma partida oficial em 2020. Segundo o técnico Vanderlei Luxemburgo, o garoto ainda não mostrou nos treinos que mereça de fato uma oportunidade.

"Se eu não coloquei, o menino ainda não mostrou para mim que merece ter uma oportunidade, ou então eu já tinha colocado. Quero colocar, mas ele tem que mostrar que merece a oportunidade no treinamento. Tem que matar um leão por dia. Tem que mostrar que joga bola para colocar. O Alanzinho é bom jogador, muito técnico, mas no treino precisa mostrar que eu preciso dar uma chance. Aí eu vou colocar. Se não fizer isso, não tenho como dar chance. Isto vale para todos os atletas", afirmou Luxa, à rádio 9 de Julho.

Raphael Veiga e Lucas Lima foram os meias que mais jogaram na temporada, mas nenhum deles se firmou, tanto que o Verdão conquistou o título paulista sem armadores. Gustavo Scarpa foi menos usado, e também está em baixa. Mesmo neste cenário, Alan muitas vezes nem é relacionado.

"Você trabalha a recuperação do jogador e ele precisa mostrar que pode continuar. Estou dando oportunidades, mas eu tinha de ganhar um título. Encontrei uma formação mais sólida, mais firme, e com as mudanças ao longo do jogador eu fui tornando a equipe mais agressiva, contra o adversário mais cansado", acrescentou.

Na entrevista, o técnico respondeu sobre a dificuldade para encontrar um esquema após a saída de Dudu. Além de principal jogador do Palmeiras nos últimos anos, o camisa 7 tinha um papel importante no esquema com quatro atacantes, usado antes da pausa do futebol por conta da pandemia do coronavírus.

"A mudança sem o Dudu não era o posicionamento dele, mas da equipe como um todo. Eu trabalhava antes da pandemia e fazia trabalhos táticos todo dia. Era físico, técnico e tático. A gente fazia o time entender nossa ideia com a linha mais alta, o perde e pressiona. Eu queria que ele (Dudu) fosse o quebrador de linhas. Com o Rony e o Veron, que estamos olhando com carinho, eu teria um jogador que quebra linhas", encerrou.

Campeão paulista, Vanderlei Luxemburgo agora prepara o Palmeiras para fazer o segundo jogo no Brasileiro, amanhã (15), às 21h30, contra o Goiás, no Allianz Parque. O Verdão vem do empate na estreia contra o Fluminense, no Maracanã.

Palmeiras