PUBLICIDADE
Topo

Liga dos Campeões 2019/2020

Como herói do Leipzig na Champions explica projeto de base do Red Bull

Tyler Adams (à dir.) entrou no segundo tempo e marcou o gol da vitória do RB Leipzig - Julian Finney /UEFA
Tyler Adams (à dir.) entrou no segundo tempo e marcou o gol da vitória do RB Leipzig Imagem: Julian Finney /UEFA

Arthur Sandes e Flavio Latif

Do UOL, em São Paulo (SP)

14/08/2020 04h00

Ontem (13), Tyler Adams se transformou no herói do RB Leipzig após marcar o gol da vitória contra o Atlético de Madri e que levou a equipe alemã a uma histórica semifinal de Liga dos Campeões da Europa.

Revelado pelo New York Red Bulls Academy, o meio-campista estadunidense tem apenas 21 anos e chegou ao RB Leipzig em 2019, após pedido do assistente técnico da época, Jesse Marsch — que havia trabalhado com Adams no projeto de base da franquia nos Estados Unidos.

A trajetória de Adams evidencia o projeto feito pelas equipes que são geridas pela companhia que produz bebida energética. Assim como ele, outros jogadores deixaram os times geridos pela Red Bull e brilharam em outro país.

Exemplo recente disso é Nabi Keita, atualmente no Liverpool. O jogador nascido em Guiné se destacou no Red Bull Salzburg, da Áustria, e chegou ao Leipzig na temporada 2016/17. Após duas temporadas mantendo o alto nível na Alemanha, ele foi contratado pelos Reds por cerca de 50 milhões de euros (R$ 317 milhões na cotação atual).

No atual elenco do treinador Julen Nagelsmann tem outros nomes que foram contratados do RB Salzburg como: o goleiro Péter Gulacsi, o zagueiro Dayot Upamecano e os meio-campistas Amadou Haidara e Konrad Laimer.

Além de levar seu time à semifinal da Champions, Tyler Adams se tornou o primeiro jogador americano da história a marcar um gol nas quartas de final da principal competição europeia.

Na semifinal, o time alemão enfrentará o Paris Saint-Germain, time de Neymar, que garantiu sua classificação, na última quarta-feira (12), após vencer a Atalanta por 2 a 1 de virada. A partida será realiza na próxima terça-feira (18), às 16h (de Brasília), no estádio da Luz.

Desempenho do New York Red Bulls

Nos Estados Unidos, Adams nunca chegou nem perto do sucesso que agora vive com o Leipzig. Na lista de clubes da Red Bull espalhados pelo mundo, o de Nova Iorque é certamente o de menor sucesso: nunca ganhou um título de verdade. Desde que se estabeleceu, em 2006, o time tem boas campanhas nos pontos corridos da Major League Soccer (MLS), mas sempre acaba eliminado no mata-mata.

A sina começou em 2010, com Thierry Henry e tudo: o New York RB liderou uma das conferências, mas caiu nos playoffs. O ciclo de classificação ao mata-mata seguida de eliminação se repetiu por nove anos consecutivos, incluindo as edições de 2017 e 2018, nas quais Tyler Adams defendia a equipe. Neste ano o time volta a buscar o título inédito da MLS, mas já perdeu dois dos três jogos que disputou.