PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Flu esbarra em problemas de criação e marca apenas cinco gols desde a volta

Técnico Odair Hellmann dá instruções em treino do Fluminense - Lucas Merçon / Fluminense F.C
Técnico Odair Hellmann dá instruções em treino do Fluminense Imagem: Lucas Merçon / Fluminense F.C

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

14/08/2020 04h00

Em meio aos testes e tentativas do técnico Odair Hellmann para encaixar o "quebra-cabeça" no Fluminense, um dos problemas apresentados pelo time é no setor de criação. Um dos indicativos de tal escassez é o número de gols marcados neste retorno do futebol, após paralisação devido à pandemia, e a forma como aconteceram.

Contabilizando os dois amistosos contra o Botafogo, o Tricolor foi a campo em dez oportunidades — seis pelo Campeonato Carioca, duas nos jogos preparatórios e duas pelo Brasileiro —, tendo balançado a rede cinco vezes. Uma média de apenas 0,5 gols por jogo.

Dos gols marcados, três foram do atacante Evanilson, um do meia-atacante Michel Araújo e outro do lateral direito Gilberto, negociado recentemente junto ao Benfica, de Portugal.

O tento de Gilberto, na final da Taça Rio, aconteceu após bola alçada na área em jogada que nasceu em uma bola parada. Já o de Evanilson, no primeiro jogo da final do Carioca, ocorreu após saída rápida e troca de passes, que terminou com Egídio cruzando nos pés do atacante

A bola na rede de Michel Araújo, no primeiro amistoso com o Botafogo, surgiu após uma bola cruzada e uma falha da defesa alvinegra. No segundo amistoso com o Alvinegro, o gol de Evanilson foi a conclusão de uma jogada em que a bola saiu com o goleiro Muriel e passou de pé em pé até Marcos Paulo achar o companheiro. Contra o Palmeiras, o atacante alterou o placar após uma bola levantada, que sofreu um desvio, e o jogador conseguiu o giro na área.

Odair vem fazendo mudanças, principalmente no setor ofensivo, algo que já é pauta há algum tempo no Tricolor. O treinador ainda busca o melhor esquema para fazer o time fluir melhor e conquistar resultados mais satisfatórios. Apesar de enxergar evolução, admite que ainda há a necessidade de aperfeiçoamento.

"No primeiro tempo, até os 20 minutos, tivemos um pouco de dificuldade na iniciação. Sofremos o gol de um único lance em que perdemos a posse em nossa construção de saída e eles acharam o gol, porque não tiveram nenhuma chance. Tivemos o gol a partir de nossa construção. Tivemos a força de buscar o empate. Merecíamos até uma situação diferente. Foi um jogo de poucas chances, disputado. Ao passarmos uma dificuldade inicial, não por pressão do Palmeiras, mas de dificuldade de construção para chegar na fase final, entramos no jogo e melhoramos na partida, até fazer um segundo tempo melhor que o Palmeiras. Mas não conseguimos traduzir isso em situações claras de gol porque o jogo também não permitiu. Estamos em busca de melhorar esses aspectos", disse

O Flu busca a primeira vitória no Brasileiro - após derrota para o Grêmio e empate com o Palmeiras - e já vê uma certa pressão da arquibancada tanto na diretoria quanto na comissão técnica. Ontem (13), a sede do clube, em Laranjeiras (zona sul do Rio), amanheceu pichada com críticas à cúpula e pedido pela saída do treinador. A equipe volta a campo no domingo (16) contra o Internacional, no Maracanã.

Fluminense