PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cruzeiro vai à Justiça e tenta anular acerto de Robinho com o Grêmio

Bruno Haddad/Cruzeiro
Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Jeremias Wernek e Thiago Fernandes

Do UOL, em Porto Alegre e Belo Horizonte

12/08/2020 19h22

O Cruzeiro ingressou na Justiça com pedido de liminar para derrubar a decisão que liberou Robinho, anunciado como reforço do Grêmio na terça-feira (11). O clube de Belo Horizonte tem como motivação principal o valor e forma de quitação de dívida com o meia-atacante. Se a ação mineira for deferida, o atleta pode ter de se reapresentar na Toca da Raposa II.

A ideia do Cruzeiro é restabelecer o vínculo federativo de Robinho. A direção do Grêmio afirma que não foi notificada e trata o assunto como tema particular do jogador, inclusive com previsão legal: o contrato em Porto Alegre só vale se a condição de jogador livre for mantida.

Segundo apurou o UOL Esporte, o Cruzeiro pede decisão que refaça vínculo para negociar quitação de cerca de R$ 2,1 milhões com Robinho. A dívida foi um dos motivos para pedido do jogador na Justiça. Ainda de acordo com a cúpula mineira, havia tratativa em andamento para rescisão extrajudicial.

O Grêmio anunciou Robinho na terça-feira após analisar a situação jurídica do jogador, que teve rescisão publicada no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF. O nome do jogador já estava na lista gremista há tempos. Em Porto Alegre, o vínculo anunciado vai até o final da temporada brasileira — estimada para se encerrar em fevereiro de 2021.

Em entrevista à Grêmio TV, Romildo Bolzan Jr., presidente do Grêmio, afirmou que Robinho era um 'sonho antigo' do clube gaúcho. O dirigente ainda garante que o contrato tem cláusulas de rendimento, mas o salário base é considerado acessível.

Futebol