PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Com ataque em crise, Fluminense aposta em volta de Fred contra o Palmeiras

Fred está de volta ao comando do ataque do Fluminense contra o Palmeiras - Lucas Merçon/Fluminense FC
Fred está de volta ao comando do ataque do Fluminense contra o Palmeiras Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

12/08/2020 04h00

Classificação e Jogos

Odair Hellmann pode até não admitir, mas o ataque virou dor de cabeça no Fluminense. Depois que Nenê caiu de produção, sua equipe parou de corresponder ofensivamente. Por isso, contra o Palmeiras, hoje (12), às 21h30, no Maracanã, o técnico promoveu a volta de Fred, recuperado de cirurgia no olho, ao time titular.

Se o histórico contra o adversário servir como amuleto, o camisa 9 tem onde se apoiar: em 12 jogos contra o Verdão, Fred marcou oito gols e tem 75% de aproveitamento, com nove vitórias sobre os paulistas. Os números tornam o Palmeiras a segunda maior vítima do atacante pelo Flu, atrás apenas do Botafogo.

O adversário também reserva páginas muito especiais na relação entre Fred e Fluminense. Além do jogo do título brasileiro de 2012, em Presidente Prudente, o Palmeiras também foi vítima na reta final de 2010, na Arena Barueri, e em 2009, na arrancada que fez o Tricolor escapar do rebaixamento naquele ano — para ser tricampeão brasileiro na temporada seguinte.

Fred comemora tetracampeonato brasileiro do Fluminense, conquistado em vitória sobre o Palmeiras - Nelson Perez/Fluminense FC - Nelson Perez/Fluminense FC
Fred comemora tetracampeonato brasileiro do Fluminense, conquistado em vitória sobre o Palmeiras
Imagem: Nelson Perez/Fluminense FC

Até mesmo nas derrotas o Verdão guarda momentos inesquecíveis para o camisa 9 do Tricolor. Em 2015, no Allianz Parque, pela semifinal da Copa do Brasil, Fred jogou no sacrifício. O atacante tinha um estiramento em um dos ligamentos do joelho, um edema no tornozelo e outro na coxa esquerda. Mesmo assim, entrou em campo e deixou o dele, levando o jogo para os pênaltis.

Por pouco, inclusive, não fez o segundo ainda no tempo normal e levou o Flu de volta a uma final nacional. Naquele confronto, tricolores até hoje reclamam de inexistente pênalti sobre Zé Roberto, no jogo de ida, e polêmicos lances que deram gols ao Palmeiras na volta. O Alviverde acabaria campeão daquela competição.

Fred se emociona ao comemorar gol sobre o Palmeiras na Copa do Brasil de 2015 - Eduardo Anzielli/FolhaPress - Eduardo Anzielli/FolhaPress
Fred se emociona ao comemorar gol sobre o Palmeiras na Copa do Brasil de 2015
Imagem: Eduardo Anzielli/FolhaPress

Queda de produção de Nenê faz Odair mexer

Os bons resultados no início de 2020 tinham como destaque o camisa 77, artilheiro do time na temporada com nove gols. Mas, após começar com essa marca em seus 11 primeiros jogos — ainda a segunda melhor entre jogadores da Série A neste ano —, o meia de 39 anos não balançou mais as redes nas dez partidas seguintes.

O jogador, é bem verdade, teve sua posição modificada pelo técnico desde a volta da pandemia. Com três volantes no meio de campo e sem um meia de ofício, Nenê e Marcos Paulo, em tese, atuariam livres entre as linhas. Mas na prática ficavam presos demais à ponta e flutuando pouco, principalmente com a bola. A equipe passou a ficar mais lenta e pouco agressiva.

Apesar de ter a falta de velocidade como problema, Odair preferiu escalar Fred, um centroavante clássico, no ataque. A preocupação maior é a falta de gols, e, como antídoto, o Flu terá o retorno do maior artilheiro dos pontos corridos do Brasileirão.

Yuri sente; Marcos Paulo é novamente barrado

Uma outra mexida tática aconteceu por conta da lesão de Yuri, que sente dores no púbis desde o jogo contra o Grêmio. Em seu lugar, o técnico promoveu o uruguaio Michel Araujo, um meia mais móvel, o que deve fazer o time ter mais poder de fogo. Hellmann já havia indicado essa mexida na coletiva após a derrota para o Tricolor gaúcho, admitindo dificuldades na criação.

"Temos jogadores para trabalhar a transição, há possibilidade de espaço, com jogadores com essa característica, de buscar essa transição, e quando não tem espaço esses jogadores têm que fazer através de aproximação, troca de passes rápidos...", opinou. Adaptado, Araújo tem sido um dos destaques dos treinamentos nas últimas semanas.

Com as mudanças, duas alternativas foram testadas: a primeira com Evanílson por uma ponta e Nenê na outra, com Fred centralizado, mais próxima da atual, com Araújo mais solto pelo meio, em um 4-2-3-1.

A segunda, mais próxima de um 4-4-2, é mais ofensiva, com o uruguaio e o camisa 77 por trás dos dois centroavantes, com o camisa 99, destaque do time na temporada, atuando como um segundo atacante por dentro.

Para isso, Odair Hellmann barrou Marcos Paulo pela segunda vez na temporada. Apesar do entrosamento com Evanílson e de algumas boas atuações em 2020, o jovem foi substituído em 11 dos 19 jogos que atuou. Em seis, foi o primeiro a deixar o campo. O camisa 11 é o melhor assistente do Fluminense em 2020 — empatado com Nenê — com quatro passes para gol.

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE x PALMEIRAS

Data e hora: 12 de agosto de 2020 (quarta-feira), às 21h30
Local: estádio Maracanã, no Rio de Janeiro
Árbitro: Rafael Traci (Fifa/SC)
Assistentes: Alex dos Santos (SC) e Henrique Neu Ribeiro (SC)
VAR: Rodrigo D'Alonso Ferreira (SC)

FLUMINENSE: Muriel; Igor Julião, Luccas Claro, Nino e Egídio; Dodi, Yago Felipe, Michel Araújo e Nenê; Evanílson e Fred. Técnico: Odair Hellmann.

PALMEIRAS: Jailson; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez (Vitor Hugo) e Viña; Patrick de Paula, Gabriel Menino, Ramires (Bruno Henrique) e Zé Rafael (Rony); Willian e Luiz Adriano. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Fluminense