PUBLICIDADE
Topo

Santos

Cuca tem 3ª chance no Santos depois de passagens breves em 2008 e 2018

Cuca na segunda passagem pelo Santos: sapida aconteceu depois de 28 partidas - Marcello Zambrana/AGIF
Cuca na segunda passagem pelo Santos: sapida aconteceu depois de 28 partidas Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Do UOL, em São Paulo

08/08/2020 04h00

Cuca está de volta ao Santos para uma terceira passagem como técnico para substituir Jesualdo Ferreira, demitido na última quarta-feira (5). Será a chance de o treinador enfim conseguir executar um trabalho duradouro. Nas outras duas ocasiões, o número de partidas não chegou a 30.

A primeira passagem, em 2008, durou apenas 14 jogos e foi interrompida em meio a uma campanha ruim no primeiro turno do Brasileirão daquele ano. Cuca deixou o clube santista depois de três vitórias, quatro empates e sete derrotas.


O Santos ocupava a 18ª colocação no campeonato, e Cuca foi criticado pelos torcedores presentes à Vila Belmiro na derrota de virada para o Atlético-MG. O clube, então, apostou em Márcio Fernandes e conseguiu escapar do rebaixamento.

Cuca voltou a ser opção do Santos dez anos depois, em meio à demissão de Jair Ventura. O treinador, que havia deixado o Palmeiras em outubro de 2017, retornou ao clube com contrato até o fim de 2019, mas viu um problema de saúde atrapalhar os planos.

Mesmo com um desempenho regular, de dez vitórias, dez empates e oito derrotas em 28 partidas, Cuca seguia nos planos da diretoria para a temporada seguinte. Por isso, a saída aconteceu sem conflitos, o que possibilitou o retorno para a terceira passagem.

"Eu sou funcionário do Santos, tenho que já ir planejando o Santos para o ano que vem. É a minha obrigação, é o meu trabalho, eu ganho para isso. Se me consultarem, se pedirem minha ajuda, estarei de braços abertos para ajudar, mas não sou eu que tenho que fazer as coisas. As coisas têm que acontecer simultaneamente", disse Cuca à época.

Anunciado ontem (7), Cuca ressaltou que o momento é diferente e celebrou iniciar um trabalho desde o começo do Campeonato Brasileiro, torneio que venceu em 2016 com o Palmeiras.

"Hoje o momento é outro e vamos pegar uma situação desde o início, não pude treinar e pegamos do zero. Todos têm zero pontos e isso é favorável para mim, não pegar o time na zona e começar desde o início. Vou procurar pegar o máximo de coisas boas que o Jesualdo deixou. A gente lamente a saída dele porque é um grande profissional, mas são coisas do futebol, já aconteceu comigo e vai acontecer com outros também", frisou.

Santos