PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Arnaldo: "Soberba da vitória no SPFC lá atrás, virou soberba da derrota"

Do UOL, em São Paulo

08/08/2020 04h00

Na primeira década do século, o São Paulo conquistou o até hoje único tricampeonato brasileiro de pontos corridos em 2006, 2007 e 2008, criando a alcunha de 'soberano' depois dos seis títulos nacionais somados aos três da Libertadores e os três mundiais.

Mas desde a Copa Sul-Americana de 2012 o clube não ganha um troféu, e a eliminação diante do Mirassol no Campeonato Paulista fizeram com que o torcedor não tenha a possibilidade de ver o time campeão este ano, uma vez que as demais competições de 2020 serão concluídas apenas em 2021, devido à paralisação pela pandemia do novo coronavírus.

No podcast Posse de Bola #45, o jornalista Arnaldo Ribeiro afirma que a diretoria do São Paulo errou quando escolheu Fernando Diniz para treinar o clube devido ao modo de jogar do técnico, quando a prioridade deveria ser pela busca do resultado para tirar o time da fila. Se antes era 'soberano' nas vitórias, Arnaldo aponta que a diretoria são-paulina virou a soberana das derrotas.

"Quando o São Paulo escolhe o Diniz lá atrás, há dez meses, e a gente falava aqui que não tinha a menor conexão entre o estilo do treinador e a necessidade do clube. Você vê depois de dez meses que nós tínhamos razão. E acho que o São Paulo, que viveu a soberba das vitórias lá atrás, depois de tricampeonato brasileiro, tricampeonato brasileiro é para ninguém, e o São Paulo viveu a soberba das vitórias a ponto de achar que era pouco o 'resultadismo' do Muricy lá atrás, resultadismo e tricampeonato brasileiro. Agora não em nem Paulistinha", diz Arnaldo.

"A soberba da vitória lá atrás, o soberano, virou a soberba da derrota agora. O São Paulo continua soberano e soberbo na empáfia de seus cartolas, achando que vai implementar um modelo de jogo revolucionário anos de ganhar um campeonato. Não existe essa situação. O São Paulo é uma piada, de tão perdido que está nessa conjuntura de resultado, modelo, nossos debates eternos. O São Paulo é o time grande do Brasil que mais precisa do resultado", completa o jornalista.

Arnaldo diz que a diretoria do São Paulo parece não entender qual a maior necessidade do clube no momento e lembra o histórico de Diniz nas passagens anteriores por Athletico-PR e Fluminense, além da falta de títulos, para dizer que não dá para esperar que ele entregue os resultados agora.

"Agora tem uma sobrevida para as primeiras rodadas do Brasileiro. 'Diniz depende de uma sequência de vitórias', cara, o Diniz não depende de uma sequência de vitórias, o Diniz depende de um sucesso na carreira que ele não teve até agora, de um título para estabelecer alguma coisa. O tipo de jogo dele não convence a ninguém", diz Arnaldo.

"O Diniz teve Athletico-PR, entregou na zona de rebaixamento, o Fluminense, e entregou na zona de rebaixamento, o São Paulo, e entregou sendo humilhado pelo Mirassol em casa, esse é o retrospecto do Fernando Diniz nos últimos três anos", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol