PUBLICIDADE
Topo

Santos

Cuca admite momento complicado no Santos, mas afirma: "O time é bom"

Técnico Cuca comanda treino do Santos no CT Rei Pelé - Ivan Storti/Santos FC
Técnico Cuca comanda treino do Santos no CT Rei Pelé Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Flavio Latif

Do UOL, em São Paulo (SP)

07/08/2020 18h05

O novo técnico do Santos, Cuca, concedeu entrevista coletiva virtual na tarde de hoje (7) e falou sobre o seu retorno ao Alvinegro praiano, as diferenças do time que deixou em 2018 e o que assume agora e as suas antigas desavenças com o presidente José Carlos Peres.

"O momento no Santos é complicado e sabemos disso. Aceitei esse desafio e tenho plena convicção que vamos fazer um trabalho bom ao longo do ano. A ideia é fazer um grande campeonato. Sabendo que temos esses problemas e não podemos contratar, mas temos um time bom. Vamos passar o máximo de confiança possível e se iniciar com vitória melhor ainda. Isso é jogo a jogo, pouco a pouco e buscando resolver os problemas", afirmou o treinador.

Quando Cuca assumiu Santos em 2018, ele contava com um ataque de peso: Gabigol, Bruno Henrique e Rodrygo. Naquela temporada, o técnico de 57 anos conseguiu ter uma boa arrancada com a equipe: deixando a zona de rebaixamento para trás e quase beliscou uma vaga na Libertadores, pelo Campeonato Brasileiro.

Em sua última passagem pelo Alvinegro praiano, Cuca chegou ao clube em junho de 2018, mas ao fim da temporada anunciou a sua saída motivado por problemas cardíacos e por recomendações médicas.

"Aquela vez que eu cheguei, o Santos estava na zona de rebaixamento ou beirando ela, tinha um grupo forte e eu tinha que passar para eles confiança. Nós tínhamos jogadores importantíssimos que estavam em baixa. Grande parte deles se recuperou e demos aquela arrancada e quase pegamos Libertadores", disse.

"Hoje o momento é outro e vamos pegar uma situação desde o início, não pude treinar e pegamos do zero. Todos têm zero pontos e isso é favorável para mim, não pegar o time na zona e começar desde o início. Vou procurar pegar o máximo de coisas boas que o Jesualdo deixou. A gente lamente a saída dele porque é um grande profissional, mas são coisas do futebol, já aconteceu comigo e vai acontecer com outros também", completou.

Ainda sobre a sua última passagem pelo Santos, Cuca foi questionado sobre possíveis desavenças que tinha com o atual presidente. O técnico esclareceu que eram apenas divergências sobre o local onde a equipe jogaria. O dirigente preferia que os jogos fossem no estádio do Pacaembu, em São Paulo, já o comandante preferia mandar suas partidas em Santos, na Vila Belmiro.

"Os problemas que nós tivemos era em relação ao local de jogo, enfim, são problemas pequenos, sempre tive máximo respeito pelo presidente. Hoje vim para ajuda-lo, eu acho que vai ser bom para mim, é um momento que eu preciso fazer um trabalho bom. Minha função é fazer essa gestão, junção, ser para o jogador uma pessoa de confiança não só como treinador, mas como um parceiro", concluiu.

O Santos faz a sua estreia no Campeonato Brasileiro no domingo (9), às 16h (de Brasília), contra o Bragantino, na Vila Belmiro.

Santos