PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Como Angulo foi de dispensável a estreante do Palmeiras em Dérbi decisivo

Iván Angulo durante treino do Palmeiras na Academia de Futebol - Cesar Greco
Iván Angulo durante treino do Palmeiras na Academia de Futebol Imagem: Cesar Greco

Thiago Ferri

Do UOL, em São Paulo

07/08/2020 04h00

Classificação e Jogos

Iván Angulo viveu duas semanas diferentes em sua carreira. Depois de estrear já se despedindo do Cruzeiro, o atacante colombiano debutou pelo Palmeiras dez dias depois no clássico com o Corinthians, na primeira final do Campeonato Paulista. Um cenário impensável há cinco meses, quando o Alviverde decidiu negociá-lo para atuar mais vezes.

"Fiquei muito feliz, porque eu estava buscando a estreia faz tempo. E veio em um momento decisivo. Agora, vamos trabalhar bastante pelo nosso objetivo, de ser campeão. É algo que vou levar para sempre, estrear em um clássico, algo que todo menino sonha. É um orgulho vestir a camisa de um clube gigante, de fazer parte desta grande instituição", comemorou Angulo após o Dérbi, em entrevista à TV Palmeiras.

Contratado por US$ 3 milhões (quase R$ 12 milhões à época) no início de 2019, após se destacar nas seleções de base da Colômbia, Angulo passou a primeira temporada no Verdão sub-20 e iniciaria a preparação para 2020 com os profissionais.

Ele, porém, lesionou-se no Pré-Olímpico, em fevereiro, e perdeu espaço em um elenco que na época tinha Dudu, Gabriel Veron, Wesley, além de Rony, que seria anunciado semanas depois. Sem a perspectiva de uso, Angulo acabou cedido ao Cruzeiro em março, quando o futebol já estava parado devido à pandemia do coronavírus.

Na cabeça de Enderson Moreira, técnico celeste, o garoto seria titular quando as competições voltassem, mas o Palmeiras começou a ter uma série de problemas na posição: Dudu fora emprestado ao Al-Duhalil, do Qatar, Rony chegou a ser suspenso pela Fifa (depois conseguiu efeito suspensivo) e Gabriel Veron sofreu uma lesão na coxa direita, da qual segue em tratamento.

Wesley, embora tenha começado a temporada de forma promissora, foi perdendo espaço ao longo dos meses, tanto que nem estava no banco na quarta, e Willian não é um jogador de velocidade. A única saída foi aproveitar uma cláusula no contrato firmado com o Cruzeiro e solicitar a volta imediata de Angulo.

O acordo havia sido feito pela diretoria antiga, e a atual gestão do clube mineiro nada pôde fazer. No fim, a Raposa pagou R$ 280 mil ao jogador que só fez uma partida. O valor é equivalente a quatro meses de direitos de imagem - a parte dos vencimentos em carteira continuaram sendo pagos pelo Palmeiras.

Em 26 de julho, ele estreou pelo Cruzeiro contra o URT e desde então viveu dias intensos. Despediu-se em seguida e estava na Academia de Futebol já no dia seguinte para trabalhar com o grupo de Vanderlei Luxemburgo.

Angulo estava pronto para entrar no segundo tempo da vitória sobre a Ponte Preta, pela semifinal do Campeonato Paulista, mas a lesão de Felipe Melo fez os planos mudarem. A primeira chance com a camisa alviverde, portanto, veio nos minutos finais do Dérbi na primeira decisão do Estadual.

"O Angulo é muito menino ainda, não jogou no time de cima e estreou em uma decisão. Ele se assustou, mas é normal. Queria manter a velocidade para prender o Fagner", comentou Vanderlei Luxemburgo.

Tratado com alta expectativa pela torcida, Angulo deve ficar novamente no banco de reservas amanhã (8), quando o Palmeiras recebe o Corinthians, às 16h30, no Allianz Parque. O Verdão precisa de uma vitória simples para conquistar o título — em caso de novo empate, a decisão será nos pênaltis.

Palmeiras