PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Por que D'Alessandro não jogou o Gre-Nal mesmo com efeito suspensivo

D"Alessandro não participou do clássico Gre-Nal, mesmo após liberação no Tribunal - Ricardo Duarte/Internacional
D'Alessandro não participou do clássico Gre-Nal, mesmo após liberação no Tribunal Imagem: Ricardo Duarte/Internacional

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

06/08/2020 12h00

O Internacional ficou da noite de terça-feira até a tarde ontem (5) envolvido na liberação de D'Alessandro. O argentino, punido com dois jogos de suspensão pela bronca com o presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Luciano Hocsman, foi liberado para jogar o Gre-Nal no meio da tarde após efeito suspensivo e recurso conquistados com muito empenho no Tribunal. E mesmo assim, não entrou em campo na derrota para o rival.

D'Alessandro, aos 39 anos, é reserva de Eduardo Coudet. Ficar fora do time acontece eventualmente e não seria total surpresa. O camisa 10 costuma entrar no segundo tempo dos jogos.

Mas contra o Grêmio, nem isso aconteceu. D'Ale viu, do lado de fora, o Inter sucumbir. O time não só perdeu por 2 a 0 como também entrou em confusão e teve jogador expulso. O gringo, protagonista de incidentes do tipo, foi o único a não entrar em campo quando Patrick e Orejuela trocaram agressões. Viu, sem envolvimento, o que ocorria nas quatro linhas.

Por que D'Alessandro não jogou? A resposta da direção apontou para comissão técnica, e a da comissão técnica teve o campo como justificativa.

"Nossa função enquanto departamento jurídico e de futebol é dar as condições ao treinador para que tenha alternativas de jogo. O D'Ale é importante para o grupo, e a ausência dele foi decisão do técnico. É válido, um atleta importante e estava requisitado para este jogo. Foi necessário que se fizesse [o movimento pela liberação] e absolutamente dentro das leis e regras do futebol", disse o vice de futebol, Alessandro Barcellos.

Eduardo Coudet utilizou os momentos do jogo para explicar a razão pela qual não colocou o armador.

"Tínhamos a intenção de colocar ele, mas o Rodinei estava com cãibras e não sabíamos se precisaria sair. É verdade que já jogávamos com três atacantes [Pottker tinha entrado], e teria que acomodar outros jogadores se o Rodinei fosse sair. Estava no final do jogo e não estava claro o que iria acontecer", explicou o treinador.

Depois de todo movimento fora de campo, o gringo não entrou. Sem ele, o Inter chegou ao nono enfrentamento com o Grêmio sem vitória. O Tricolor, por sua vez, disputará a final do Campeonato Gaúcho com o Caxias e poderá erguer a sétima taça em quatro anos.

O Inter se prepara, agora, para a estreia no Campeonato Brasileiro. O jogo será contra o Coritiba, sábado, fora de casa.

Internacional