PUBLICIDADE
Topo

Flu faz último teste para o Brasileiro com incerteza dentro e fora de campo

Odair Hellmann tenta acertar Fluminense para o Campeonato Brasileiro - Mailson Santana/Fluminense FC
Odair Hellmann tenta acertar Fluminense para o Campeonato Brasileiro Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

01/08/2020 04h00

Classificação e Jogos

O Fluminense ainda terá mais uma semana de treinos, mas fará contra o Botafogo, hoje (1º), às 19h, no estádio Nilton Santos, o seu último teste antes do início do Campeonato Brasileiro. A temporada atípica com a pandemia de coronavírus deixa a equipe com incertezas dentro e fora de campo.

Em que pesem questionamentos pertinentes sobre orçamento e balancetes do clube de 2020 — até agora não publicados —, o Tricolor conseguiu acordos importantes e iniciará a competição de pontos corridos com os salários em dia. Os débitos se limitam a 50% do mês de abril — acordado para ser pago até dezembro — e direitos de imagem, pago a apenas alguns poucos jogadores do elenco.

Diferente dos outros anos, o Flu se vê mais forte nos bastidores até pelo momento interno do clube. Sem reuniões nos últimos meses por conta da Covid-19, o Conselho Deliberativo — cuja maioria é situacionista depois da vitória de Mário Bittencourt após vencer com mais do que o dobro de votos da chapa rival, ganhando todas as cadeiras do Conselho nas eleições — é menos combativo que nas últimas gestões, marcadas por turbulências externas e internas. A postura da diretoria, contrária ao retorno do futebol em meio à pandemia de coronavírus, foi muito elogiada por torcedores e opinião pública.

Em campo, o time de Odair Hellmann divide opiniões. Elogiado por rivais e muito bem avaliado internamente, o trabalho do treinador ainda não caiu no gosto de parte da torcida e recebe sucessivas críticas, principalmente nas redes sociais. A equipe foi bem vendendo caro o título estadual ao arquirrival e favorito Flamengo, mas ainda precisa de ajustes antes do dia 9, quando enfrenta o Grêmio na estreia no Brasileirão, no Sul.

Para o amistoso de hoje, os tricolores esperavam um pouco mais de ousadia do comandante a partir da lesão do volante Hudson. Odair, entretanto, manterá o esquema com três volantes ao escalar Yuri como substituto — sendo coerente com suas ideias de equilíbrio e competitividade, é bem verdade.

Desde o retorno do futebol, o Flu não mostra o mesmo ímpeto do início da temporada, quando o ataque era o segundo melhor dentre os clubes da Série A em 2020. O time, até então equilibrado, voltou com problemas muito por questões físicas.

Se na defesa as peças parecem já definidas pelo treinador, o setor ofensivo suscita dúvidas. Contra o Bota, a equipe repetirá o trio com Nenê, Marcos Paulo e Evanílson, os três artilheiros da equipe na temporada. Com três volantes, entretanto, o Tricolor vem tendo dificuldades na criação, compensando com uma transição mais forte. O Flu marcou apenas três vezes em seis jogos oficiais após a volta do futebol.

Com a volta de Gilberto à lateral-direita, o Flu irá a campo com Muriel; Gilberto, Nino, Digão e Egídio; Yuri, Yago e Dodi; Nenê, Marcos Paulo e Evanílson. No banco, Odair Hellmann deve ter Michel Araújo, Miguel, Wellington Silva, Caio Paulista e Paulo Henrique Ganso para mudanças na frente. Sem Hudson, o volante André — considerado uma joia em Xerém e titular do sub-23 — também será relacionado.

Fluminense