PUBLICIDADE
Topo

Vasco tem semana decisiva para definir diretas e reforma do estatuto

Conselho Deliberativo do Vasco se reúne hoje (28) para aprovar ata da reforma do estatuto - Paulo Fernandes / Vasco
Conselho Deliberativo do Vasco se reúne hoje (28) para aprovar ata da reforma do estatuto Imagem: Paulo Fernandes / Vasco

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

28/07/2020 04h00

A partir de hoje (28), o Vasco da Gama passa a decidir tópicos importantes e que terão reflexos diretos no futuro do clube. Às 19h30, o Conselho Deliberativo se reúne de maneira virtual para a aprovação - ou não - da ata com a proposta da reforma do estatuto do Cruz-Maltino. No dia seguinte, às 17h, a Junta Deliberativa também se encontra online para definir a lista de sócios aptos a voto.

Para que a reunião de hoje tenha validade, se faz necessário um quórum mínimo de 50 conselheiros, algo que os envolvidos acreditam que será atingido com facilidade, mesmo com o fato do Conselho se reunir virtualmente pela primeira vez na história.

A tendência é pela aprovação da ata, e uma vez que isso aconteça, ela será encaminhada à Assembleia Geral e ficará à espera somente da definição da lista de sócios aptos a voto para ser colocada em votação junto aos associados. Com ela, estará também outra proposta muito importante nos rumos do clube: as eleições diretas. Ainda não está definido, no entanto, se os temas serão colocados em pleitos separados ou juntos.

A ideia da Junta Deliberativa é chancelar a lista de sócios nesta quarta-feira (29) e agendar a Assembleia Geral Extraordinária para o dia 25 de agosto. Nesta data, o associado vascaíno decidirá pela aprovação - ou não - da reforma do estatuto e das diretas.

Tema divide opiniões

A eleição direta aparenta ser um senso comum entre os diferentes grupos políticos vascaínos, mas o mesmo não se pode dizer da proposta de reforma do estatuto. Enquanto boa parte de conselheiros e sócios ligados aos grupos de Roberto Monteiro (presidente do Conselho Deliberativo), Leven Siano e Luis Manuel Fernandes (candidatos à presidência), e "Euriquistas" são a favor da reforma, os aliados de Julio Brant (possível candidato) e da chapa "Mais Vasco" (que pode surgir com o candidato Jorge Salgado) são contra.

Os opositores, inclusive, levantam a bandeira de que a proposta das eleições diretas tem de ser votada separadamente da reforma do estatuto.

Reunião presencial foi vetada pela Vigilância

Inicialmente, a reunião do Conselho Deliberativo havia sido marcada presencialmente para São Januário no sábado passado (25), mas a Vigilância Sanitária do Rio de Janeiro vetou o encontro após ofício enviado pelo presidente do Vasco, Alexandre Campello, alertando sobre os riscos relacionados à Covid-19.

A proposta da reforma

A proposta da reforma do estatuto foi aprovada em março pelo Conselho Deliberativo com algumas mudanças em relação ao texto original, algo que gerou polêmica.

Questões como a inelegibilidade do presidente em caso de contas reprovadas e o "conflito de interesses" de conselheiros que prestam serviços remunerados ao clube acabaram ficando de fora por falta de quórum no dia da reunião.

No que se refere à fraude eleitoral, ficou definido que o Vasco terá mecanismos internos para apurar denúncias de corrupção da diretoria administrativa sem a exclusão imediata do presidente.

Outro ponto é que se manteve o número de 150 beneméritos por reunião do Conselho Deliberativo, mesmo que não haja um limite máximo para a categoria. Na proposta original se previa um aumento para 170 por encontro.

Definiu-se ainda que as eleições acontecerão mediante urna eletrônica havendo disponibilidade da Justiça Eleitoral, e que os pleitos serão realizados, preferencialmente, nos fins de semana, para facilitar trânsito ao sócio que mora fora do Estado do Rio de Janeiro.

Vasco