PUBLICIDADE
Topo

Michel Araújo se diz 100% adaptado e celebra bom momento no Fluminense

Michel Araújo marcou seu primeiro gol com a camisa do Fluminense em amistoso contra o Botafogo - Mailson Santana/Fluminense FC
Michel Araújo marcou seu primeiro gol com a camisa do Fluminense em amistoso contra o Botafogo Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

28/07/2020 13h46

Classificação e Jogos

Depois de marcar seu primeiro gol com a camisa do Fluminense na vitória sobre o Botafogo, o uruguaio Michel Araújo falou sobre o seu bom momento. Com a ajuda de companheiros e do técnico Odair Hellmann, o meia-atacante de 23 anos se diz totalmente adaptado ao Brasil.

"O que o Odair [Hellmann] falou é certo. O ritmo do jogo no Uruguai é mais devagar. Aqui no Brasil é tudo mais rápido, os campos são muito melhores. Acredito que estou adaptado 100% e com os minutos de jogo isso vai tendo continuidade e vou atuar cada vez melhor. Minha adaptação foi rápida. Os companheiros fizeram tudo ser mais fácil no clube e no Rio. Acho que o gol contra Botafogo foi muito importante para eu liberar um pouco toda a tensão com tudo o que vinha acontecendo", opinou.

Atletas do elenco que falam espanhol, como o peruano Pacheco, que chegou ao clube junto a ele, e o meia Paulo Henrique Ganso, de acordo com o uruguaio, facilitaram para acostumar com a cultura brasileira.

"O Fernando Pacheco se tornou um amigo, assim como o Ganso. Desde o primeiro dia, o Ganso falou sempre comigo, ela fala muito bem espanhol e esteve à minha disposição à disposição da minha família o tempo todo. Isso ajudou muito a eu me sentir bem aqui no Brasil", disse.

Polivalente, ele falou sobre seu posicionamento em campo. Araújo prefere atuar como meia, mas tem entrado como ponta, onde acredita que também pode ajudar o Fluminense.

"Gosto mais de jogar de meia, ali por onde atuam Ganso e Nenê, mas se tiver que jogar pelos lados também gosto. Consigo também jogar pelos lados, mas por onde fico mais cômodo e sinto que posso ajudar muito mais o time é jogando de meia. O Fluminense tem jogadores que ja tem uma carreira exitosa, então tenho que trabalhar no dia a dia e esperar a oportunidade. Eles são mais posicionados e eu sou muito de me movimentar. Agora não estou vendo muito a oportunidade de jogar de titular no meio mas tenho que trabalhar e fazer as coisas bem para ter oportunidades de jogar.".

Calegari comemora estreia

Outro a conversar com a imprensa nesta terça-feira foi Calegari, de 18 anos, que estreou como profissional na vitória sobre o Alvinegro. O jovem, que é volante, atuou improvisado na lateral-direita e foi bastante elogiado pela comissão técnica.

"Foi um momento especial na minha carreira estrear no profissional com 18 anos. Não é nada novo jogar pela lateral-direita. Sou volante de origem mas já tinha atuado de lateral e me sinto confortável atuando por ali também. Atuei mais atrás por uma questão tática, mas a minha característica maior como lateral é a marcação. Isso não faz com que eu me isente de subir ao ataque e dar apoio aos meias. Comecei o jogo um pouco nervoso, o que é normal, mas aos poucos fui chegando e deu tudo certo", contou.

Calegari estreou como profissional pelo Fluminense em amistoso contra o Botafogo - Mailson Santana/Fluminense FC - Mailson Santana/Fluminense FC
Calegari estreou como profissional pelo Fluminense em amistoso contra o Botafogo
Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC

O moleque de Xerém comentou também sobre a relação com os jogadores mais experientes do elenco, que passaram confiança em sua primeira chance com o técnico Odair Hellmann.

"São jogadores que já estão há muito tempo atuando como profissionais, que sempre procuram nos ajudar na semana de treinamento e na concentração para o jogo. Hudson Nenê e Ganso conversam muito comigo antes da partida e me deram confiança. Isso me fez sentir mais leve e confiante para fazer as coisas dentro do jogo".

Fluminense