PUBLICIDADE
Topo

Secretário não acredita em recuo do futebol em São Paulo: "Não vejo risco"

Jailson, goleiro do Palmeiras, em treinamento do clube durante paralisação do Paulistão - Reprodução/Instagram
Jailson, goleiro do Palmeiras, em treinamento do clube durante paralisação do Paulistão Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

13/07/2020 11h10Atualizada em 13/07/2020 13h35

Classificação e Jogos

Aildo Ferreira, secretário de Esportes do estado de São Paulo, não acredita que o fato ocorrido em Santa Catarina se repita no futebol paulista. No sul, o campeonato local, que havia sido retomado, foi adiado novamente após jogadores da Chapecoense atuarem com coronavírus.

Em entrevista à rádio CBN, ele afirmou que a retomada do futebol em São Paulo está sendo feita de maneira "criteriosa e profissional" e que ninguém vai jogar infectado.

"Os clubes começaram seus treinamentos em 1° de julho, com o anúncio feito no dia 15 de junho. [Executaram] a testagem de todos os envolvidos, tanto jogadores quanto comissão, e foram detectados alguns jogadores com exames positivos. Eles foram isolados, estabelecendo as regras de cumprimento do protocolo de forma segura. No retorno do campeonato, dia 22, [o Paulistão] vai acontecer de forma segura, sem atletas com exame positivo e tudo sob controle", iniciou Ferreira.

"Vamos ter a retomada do Paulistão de forma muito profissional. A federação vai fazer a fiscalização do cumprimento desses protocolos pelos clubes. Não estamos vendo nenhuma possibilidade de risco de ter que recuar com relação a isso. Em São Paulo, da forma como foi apresentado, não vejo nenhum risco de acontecer", completou ao veículo.

Ao ser questionado sobre jogos de clubes que têm sedes em cidades na zona vermelha da pandemia - como Ponte Preta e Guarani, em Campinas -, o secretário afirmou que partidas nesta região estão proibidas.

Apesar disto, ele se mostrou confiante que, nos próximos dias, a situação melhore para que o governo estabeleça medidas mais flexíveis, como na capital e na baixada santista.

"Qualquer jogo do Campeonato Paulista só pode ser realizado em localidades na fase amarela. Os clubes da região que permanecer depois do dia 22 na fase vermelha terão que mudar o seu local de jogo. A federação e os clubes estão cientes disto. Acredito que não teremos nenhum problema. Há uma tendência de que essas fases melhorem em São Paulo, como vimos na última atualização. Acreditamos que tenhamos uma melhora", disse.

Futebol