PUBLICIDADE
Topo

PSG volta após quatro meses e será 1º grande da Europa a jogar com torcida

Neymar deverá ser utilizado em amistoso do PSG por pelo menos 60 minutos - Divulgação/PSG
Neymar deverá ser utilizado em amistoso do PSG por pelo menos 60 minutos Imagem: Divulgação/PSG

Joao Henrique Marques

Colaboração para o UOL, em Paris (FRA)

11/07/2020 04h00

O Paris Saint-Germain ficou quatro meses sem jogar, mas a espera está terminando: neste domingo, diante do Le Havre, às 14h (de Brasília), em amistoso na região da Normandia, no noroeste da França, Neymar & Cia vão voltar a campo. E com uma novidade: a partida tem permissão do governo francês para ser realizada com presença de até 5 mil torcedores. É o primeiro evento de futebol com público entre os países das principais ligas Europa (Alemanha, França, Espanha Itália, Inglaterra).

O jogo também representa a largada de uma maratona do PSG para o "esquenta" da Liga dos Campeões em agosto — o time encara o Atalanta nas quartas de final, no dia 12. Entre amistosos e finais da Copa da França e da Copa da Liga da França serão seis confrontos em 25 dias.

A escolha pelo Le Havre, da segunda divisão da França, é uma demonstração da dificuldade do PSG em selecionar adversários. A grande maioria dos clubes da Europa ainda está em atividade em campeonatos nacionais. Os dois jogos serão contra o Waasland Beveren, lanterna na última temporada do Campeonato Belga, no dia 17 de julho, e o Glasgow Celtic, atual campeão escocês, no dia 21.

Contra o Le Havre, Tuchel planeja usar a dupla Neymar e Mbappé por, pelo menos, 60 minutos. O treinador alemão acredita que o PSG perdeu o favoritismo na Liga dos Campeões depois que a Liga francesa de encerrou o campeonato nacional no início da pandemia do novo coronavírus.

"Fica complicado quando você olha para a movimentação de times fortes como Manchester (City), Bayern (de Munique), Barcelona, Real Madrid, Juventus. É algo que não temos como recuperar. Se os jogos fossem hoje, com certeza teríamos poucas chances. Mas esse mês será vital para nossa preparação", comentou Tuchel.

Na preparação do PSG, os jogos de alto nível começam no dia 24 de julho. É a data da final da Copa da França contra o Saint-Etienne> No dia 31 de julho, o rival é o Lyon, na decisão da Copa da Liga da França. Antes da Liga dos Campeões, o clube ainda programou novo amistoso para o dia 5 de agosto, ainda sem adversário definido.

Público gera polêmica na França

A sexta-feira foi marcada pelo fim do estado de urgência sanitária na França. O governo francês já tinha anunciado a autorização, a partir deste sábado, para realização de eventos no país para até 5 mil pessoas. Assim, PSG x Le Havre ficou marcado como o pontapé da volta da permissão de grande aglomerações no país.

A França anuncia ter controle sobre os novos casos de coronavírus. O último comunicado foi de 24 mortes em 24 horas — o total de vítimas do país chegou 30.004 desde o primeiro registro, no fim de fevereiro.

"A circulação do vírus aumentou, mas continua baixa. Os franceses querem sair de férias, esquecer tudo que aconteceu nestes meses. Mas o que não podem esquecer são os gestos de distanciamento. É preciso ser vigilante", disse o ministro da saúde, Olivier Véran, nesta sexta-feira.

A declaração do ministro contrasta com a liberação de público para um jogo do principal clube do país. O jornal Le Parisien destaca o amistoso como "um verdadeiro fenômeno de curiosidade e incompreensão". O veículo cita o fato de o Governo Francês ter sido o causador do fim do Campeonato Francês ao impedir eventos esportivos até agosto e aceitar um jogo de futebol com público em julho.

Como mandante, o Le Havre é o responsável pelas medidas de segurança para torcedores e jogadores. O estádio com capacidade para 25 mil pessoas terá assentos demarcados impedindo um torcedor de ficar colado ao lado do outro. O clube também diz que todas as pessoas com acesso aos vestiários já foram testadas nesta semana.

"É um verdadeiro jogo de gala, já que é o primeiro com público na Europa Ocidental. É a hora para isso. O número de pedidos de credenciamentos que recebemos do exterior é bastante indicativo da curiosidade que existe em torno deste evento. Estamos preparados", destacou o diretor do Le Havre, Pierre Wantiez.

Futebol