PUBLICIDADE
Topo

R. Simões admite erro ao relacionar volta do futebol com violência a mulher

O ex-técnico e comentarista Renê Simões - Reprodução/Facebook
O ex-técnico e comentarista Renê Simões Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

06/07/2020 21h15

O ex-técnico de futebol e hoje comentarista René Simões admitiu hoje, em live da Força Feminina Colorada, que errou ao ter falado que o retorno dos jogos ajudaria até a diminuir a violência doméstica. Segundo ele, "faltou contexto" e isso abriu justificativas para as críticas.

Em junho, Simões tinha dito em entrevista à Radio Central de Campinas: "Vamos discutir o futebol como fator social para ajudar as pessoas que estão em casa enlouquecendo. Tenho amigos aqui que já se separaram, outros já bateram na mulher, outros batem nos filhos... Estão enlouquecendo. Se voltar o futebol, pode ser que ajude em alguma coisa".

Hoje, na participação com o grupo de torcedoras do Inter, disse que a aspa dele tinha ficado vaga por não ter contado a história de uma amiga que tinha sofrido violência doméstica.

"Não fiquei aborrecido com o que escreveram, porque o erro foi meu em não contextualizar tudo. Quem de um contexto tira um texto, arruma um pretexto. Arrumei um pretexto para acabarem comigo nas redes", analisou.

O comentarista disse que o futebol seria "um dos motivos, nunca o motivo, para não haver agressões".

"Naquela semana, tinha recebido um telefonema de uma amiga dizendo que tinha sofrido agressão verbal e física. Não contextualizei. Só disse que o futebol poderia ajudar para que as coisas não aconteçam. Perguntei o que ela queria fazer, disse que não queria fazer nada", disse Simões.

Por fim, Simões disse também que quem o conhece sabe que ele não diria uma "aberração dessa, que, não tendo futebol, seria a justificativa para agredir uma mulher".

"Tenho três filhas. Ai dos meus genros se encostarem a mão nas minhas filhas", acrescentou.

Futebol