PUBLICIDADE
Topo

Fortaleza e Bahia criam plataformas para estreitar relação com torcedores

Torcida do Fortaleza faz festa com mosaico - Gustavo Simão/Fortaleza Esporte Clube
Torcida do Fortaleza faz festa com mosaico Imagem: Gustavo Simão/Fortaleza Esporte Clube

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

06/07/2020 09h00

Fortaleza e Bahia vão lançar, em breve, plataformas que reúnem conteúdos com o intuito de estreitar a relação com a torcida e alcançar novas maneiras de monetização.

No caso do Fortaleza, a previsão é o lançamento de uma plataforma integrada de streaming, que vai reunir desde os mais diversos conteúdos digitais até opção de compra de ingressos e planos de sócio-torcedor. O projeto terá o nome de 'Super App Fortaleza Esporte Clube'. Já o Bahia, por meio de seu mandatário, Guilherme Bellintani, também revelou em entrevista recente que vai lançar para os próximos dias o programa "Sócio Digital", que se trata de uma plataforma de streaming que vai exibir vídeos e jogos da equipe aos assinantes.

"Estamos trabalhando nisso há algum tempo e dando um passo à frente em tecnologia. É mais um investimento que o Fortaleza vem fazendo, para o torcedor ter esse acesso mais rápido e eficiente e poder consumir o material do clube, numa única plataforma que vai integrar todos os nossos serviços", afirma Marcelo Paz, presidente do Fortaleza.

A ideia da plataforma do Fortaleza é que o torcedor encontre todos os serviços disponibilizados pelo clube. Venda de produtos oficiais e licenciados, check in para os jogos, games, partidas antigas, entrevistas e muito material exclusivo e de bastidores.

"Outro ponto interessante é que a gamificação envolverá quizzes e perguntas sobre interesses e gostos pessoais dos torcedores. Isso nos ajudará a conhecê-los mais profundamente e também nos fornecerá dados que, transformados em inteligência, renderão criação de produtos, ações e oportunidades de patrocínio", acrescenta o gerente de marketing do Leão, Márcio Persivo.

Até músicas cantadas pela torcida e um serviço de GPS, para levar o torcedor de onde ele estiver até o Castelão em dia de jogo, vão estar disponíveis no aplicativo.

Especialista em inovação e novos negócios na indústria do esporte, Bruno Maia entende que essa é uma alternativa que precisa ser tratada como emergencial para as agremiações do país.

"Este tipo de plataforma é um caminho necessário e urgente para os clubes brasileiros, mas mais importante do que aquilo que o torcedor visualiza é entender o que está sendo pensado por trás. Como está desenhada a estratégia de captação, tratamento e retenção de dados. A partir disso, o clube deve tomar decisões de colocar no ar não qualquer conteúdo, mas coisas variadas que possam apreender determinados gostos do seu fã. Isso, sim, trará efetividade a um trabalho de dados", explica o executivo de marketing, que é sócio da 14, agência de conteúdo estratégico, e foi vice-presidente de marketing do Vasco da Gama.

O Bahia já possui um aplicativo deste tipo, e a ideia é evolui-lo, oferecendo também imagens de bastidores, jogos da base e do time feminino, e a partir de 2021, passar a transmitir os jogos do Campeonato Estadual, já que o contrato com a Globo encerra-se neste ano.

Gustavo Herbetta, fundador e diretor de criação da agência de marketing esportivo da Lmid, e que já foi superintendente de marketing do Corinthians entre os anos de 2015 e 2017, também corrobora que o ambiente digital deve ser tratado como investimento pelos clubes.

"Ainda é preciso entender como a economia vai se comportar conforme o tempo passa, no entanto, a sociedade vai mudar e atravessaremos várias etapas. O fato é que tudo, a partir de agora, precisará ser pensado no ambiente digital. Quando o futebol voltar, será sem público, e a TV e a internet se tornarão fundamentais para a marca ser valorizada. Vale sempre lembrar que o fã continua atrás do clube e o patrocinador continua querendo aparecer, então inovar é preciso", aponta.

"Trabalhar esse tipo de plataforma é importante para um contato mais próximo do fã com seu produto, que no caso são os clubes. Com essa aproximação, o público se sente parte do projeto, passam de meros espectadores para conviver de forma mais intensa do dia a dia do clube. É claro que as facilidades e serviços que a plataforma vai entregar ditarão essas regras, mas estamos falando de projetos de excelência, e essas oportunidades para os torcedores são fundamentais. Esse sentimento de fazer parte do processo é o que o move o torcedor a aceita-lo e utiliza-lo", corrobora Marcelo Palaia, especialista em marketing esportivo e professor sobre o assunto na ESPM-SP (Escola Superior de Propaganda e Marketing).

Futebol