PUBLICIDADE
Topo

Mauro: "Braz buscou o Jesus e conduziu acertos de Gabigol e Filipe Luís"

Do UOL, em São Paulo

03/07/2020 04h00

Na última semana o vice-presidente de relações exteriores do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista, o Bap, apareceu dando declarações a respeito do ex-técnico Abel Braga e também do atual treinador do clube, Jorge Jesus. Mas, enquanto ele havia sido o responsável pela contratação de Abel, a chegada do técnico português ao clube foi possível por uma negociação de outro dirigente de outra ala política do clube, o vice de futebol Marcos Braz.

Durante o podcast Posse de Bola #39, o jornalista Mauro Cezar Pereira explica a divisão nas alas políticas do Flamengo e a responsabilidade que Braz teve não apenas para que o clube pudesse contar com Jesus, mas também nas negociações pela permanência de Gabigol e pela chegada do lateral Filipe Luís.

"O próprio Jesus falou numa coletiva no ano passado, que foi o Marcos Braz que foi buscar. Lembrando que o Marcos Braz, isso aqui não é defesa do Braz, nem do Bap, nem ataque a nenhum deles, é só tentando situar. O Marcos Braz não faz parte do grupo de Landim, de Bap, de Gustavo Oliveira, não faz parte. Ele é de outra ala política do clube e ele é o vice-presidente de futebol porque o governo do Landim é um governo de coalizão, vários grupos políticos do clube o apoiaram na campanha", explica Mauro Cezar (disponível no vídeo acima a partir de 13:32).

O jornalista explica que a postura de Braz nas negociações foi essencial para que o Flamengo pudesse fechar algumas contratações, como a de Filipe Luís, que deixou o Atlético de Madrid após a Copa América no ano passado, e a permanência de Gabigol, comprado da Inter de Milão depois de ter ficado um período sem contrato enquanto aguardava proposta do futebol europeu.

"A condução das negociações para ficar com o Gabigol foi muito bem-feita. O Gabriel quis ir para a Europa, direito dele, o Flamengo não se desesperou, não botou pressão, a do Filipe Luís foi a melhor. Porque o Filipe Luís recebeu uma proposta e passou toda a Copa América pensando e muitos torcedores já estavam indignados, em rede social você via 'esse cara não quer jogar no Flamengo', e o Flamengo não fez nada, ficou esperando, esperando, um belo dia lá, ele conversou com a mulher dele, que é espanhola, e resolveu aceitar a proposta do clube", afirma Mauro Cezar.

"Se a vice-presidência de futebol bota na mesa, como parte da torcida parecia desejar, o Filipe Luís talvez hoje jogasse no Palmeiras, ou no Grêmio, um outro clube ia falar, 'pô, esse cara está querendo voltar para o Brasil, o Flamengo brigou com ele, não quer mais, eu quero'. E foi um jogador importantíssimo em vários aspectos. Então isso é bom pontuar para não parecer que é tudo uma coisa só, não é tudo uma coisa só", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol