PUBLICIDADE
Topo

'Bate o desespero de morrer de fome', diz jogador do Volta Redonda

Saulo comemora gol do Volta Redonda contra o Fluminense - Thiago Ribeiro/AGIF
Saulo comemora gol do Volta Redonda contra o Fluminense Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/07/2020 13h17

Favorável à volta do futebol brasileiro, Saulo Mineiro, do Volta Redonda, não escondeu o medo de "morrer de fome" durante a paralisação do Campeonato Carioca.

Convidado do Bom Dia Fox de hoje, o jogador comentou a situação dos times pequenos em meio à pandemia de coronavírus, assim como o receio de perder o emprego e não conseguir sustentar a família.

"Vou falar por mim, eu era a favor da volta. A gente recebe muito pouco, clube pequeno recebe pouco. Reduziu 50% com a paralisação. O dinheiro era pouco, temos conta, sustentamos família, crianças. Lógico que a gente pensa na dificuldade, muita gente morrendo, mas bate o desespero de morrer de fome. Eu estava preocupado sim com tudo isso que estava acontecendo, mas preocupado se eu iria ficar sem trabalhar. Fiquei três meses em casa com salário reduzido. Se eu falar o valor do salário que recebia, é muito complicado. A gente vê jogador de time grande falando que era contra (a volta), mas não tem comparação do jogador de alto nível com o do time pequeno", disse Saulo.

"Está todo mundo confinado, a chance de pegar a doença é difícil, por conta dos cuidados que o Volta Redonda e Federação estão tendo com a gente. O jogador de time grande é contra, mas você não quer fazer a comparação do valor que ele recebe com o valor que a gente recebe", completou o jogador.

Classificado para as semifinais da Taça Rio, o Volta Redonda encara o Flamengo no domingo (5), às 16h, no Maracanã. Fluminense e Botafogo se enfrentam na outra semifinal.

UOL Esporte vê TV