PUBLICIDADE
Topo

Globo diz que decisão de transmissão do Carioca cabe a clubes e Ferj

Ricardo Moraes
Imagem: Ricardo Moraes

Pedro Ivo Almeida e Rodrigo Mattos

Do UOL, em São Paulo e no Rio de Janeiro

03/07/2020 19h13

Classificação e Jogos

Com o contrato de direitos de transmissão do Campeonato Carioca rompido pelo Grupo Globo na manhã da última quinta-feira (2), os times correram para viabilizar as próprias transmissões das últimas rodadas da Taça Rio - segundo turno da competição. Uma mensagem da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), no entanto, deixou a maior parte dos envolvidos em dúvida. Nela, diante de dúvidas sobre a rescisão, a entidade recomendava aos clubes não "exercer o direito de transmitir suas partidas".

Na visão da federação, "ainda com a informação, no documento, de que a emissora garante o pagamento integral da cota de 2020", transmitir os jogos poderia significar uma brecha jurídica para posterior cobrança da emissora, uma vez que ela ainda iria remunerar os clubes pelo torneio.

Com o imbróglio, a Ferj enviou uma contra-notificação à Globo nesta sexta-feira (3) buscando respostas mais claras sobre o direito de transmitir.

"A liminar confirma que a nova MP não pode se aplicar a contratos anteriores, mas, infelizmente, no caso do Carioca o direito da Globo à exclusividade já havia sido violado pela transmissão do jogo do entre Flamengo e Boavista. A partir do momento em que não há mais um contrato vigente com a Globo, a decisão da transmissão passa a ser dos clubes com a FERJ, já que ela os representa na venda dos direitos de mídia", disse a Globo, em nota enviada ao UOL após questionamentos sobre o caso.

A Ferj mantém sua posição de dúvida. Receosa, reforça que segue a recomendação aos clubes.

"A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro foi surpreendida, nesta data, com a notificação da TV Globo sobre a rescisão de contrato dos direitos de transmissão do Campeonato Carioca e ainda com a informação, no documento, de que a emissora garante o pagamento integral da cota de 2020. Assim sendo, a FERJ apresentará a contra notificação e entende que os clubes signatários do contrato, no momento e mesmo como mandantes, não devem exercer o direito de transmitir suas partidas até posterior decisão".

Mesmo com o comunicado da Ferj, clubes como Vasco e Volta Redonda entendem que o rompimento do contrato dá aos clubes o direito de controlarem seus direitos de transmissão sem um ônus posterior pela atitude.