PUBLICIDADE
Topo

Conmebol cria protocolo para retomada, mas diz: 'Não será do dia pra noite'

O presidente Alejandro Dominguez, da Conmebol - Agustin Marcarian/Getty Images
O presidente Alejandro Dominguez, da Conmebol Imagem: Agustin Marcarian/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

02/07/2020 13h28

A Conmebol afirmou que criou um protocolo com especialistas para a retomada de seus campeonatos, mas afirmou que isso não acontecerá "do dia para a noite". Entre as medidas, está previsto que o retorno aconteça em partidas sem público.

Durante a Cúpula do Mercosul, o presidente da entidade, Alejandro Domínguez, afirmou que a vida dos jogadores, comissão técnica, árbitros e torcedores é a prioridade no momento, mas deu argumentos econômicos para que se pense na volta das partidas, depois da paralisação por conta do coronavírus.

"São tempos difíceis, que exigem decisões enérgicas, mas também equilíbrio. Desde o início, a prioridade é a vida das jogadoras, jogadores, árbitros, técnicos e torcedores", afirmou Domínguez. Ele defendeu em seu discurso que o futebol é "um alívio nas tensões sociais, é um canalizador de energias que dissipam o mal-estar e reanimam o espírito. Em circunstâncias como vivemos, o retorno do nosso esporte fica mais importante". Abordou também a importância econômica e os empregos gerados pelo futebol.

O presidente da Conmebol ainda afirmou que a saúde vem primeiro, mas estes outros fatores precisarão ser considerados. Segundo Domínguez, a volta depende dos presidentes dos países envolvidos.

"Nós, da Conmebol, queremos estar preparados para o dia da volta. Para isso, uma equipe de especialistas elaborou um protocolo para treinamentos, viagens, competições, assim como um manual operativo de saída e chegada de voos de delegações", explicou ele.

"Ele foi concebido para um primeiro momento que começará com partidas sem público. Nossa intenção não é voltar da noite para o dia. O futebol precisa voltar com total segurança, quando vocês, senhores presidentes, com suas autoridades sanitárias, considerarem seguro", concluiu.

Futebol