PUBLICIDADE
Topo

Barcelona

Se mantiver média da carreira, Messi vai fazer gol 1000 próximo dos 40 anos

Lionel Messi bate pênalti de cavadinha e marca seu 700º gol na carreira - David Ramos/Getty Images
Lionel Messi bate pênalti de cavadinha e marca seu 700º gol na carreira Imagem: David Ramos/Getty Images

Diego Salgado e José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

01/07/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Com 700 gols em 16 temporadas, Messi tem a média de 43 gols por ano por Barcelona e seleção argentina.
  • Para alcançar os 1.000, o argentino tem que realizar mais sete temporadas com a mesma eficiência.
  • Ou seja, caso sustente os 43 gols por temporada, Messi chegaria ao milésimo próximo dos 40 anos.
  • Restam cinco jogos do Espanhol e pelo menos mais um de Liga dos Campeões para o argentino em 2019-2020.
  • Caso supere o Napoli nas oitavas da Champions, Barça pode entrar em campo mais três vezes a nível europeu - desde que chegue na final.

Embora o sentimento final seja de frustração pelo empate por 2 a 2 com o Atlético de Madri, que pode afastar de vez o Barcelona da briga pelo título de LaLiga, Lionel Messi saiu do Camp Nou com a expressiva marca de 700 gols na carreira. Inevitável não se apegar ao número para projetar o futuro. Mas, afinal, o gol 1.000 ainda é possível? Sim, mas exige excelência e longevidade ainda maiores do craque.

Segundo levantamento da reportagem do UOL Esporte, Messi precisaria manter a atual média de 43 gols na carreira para alcançar o milésimo próximo aos 40 anos — terá 39 se as competições terminarem antes de 24 de junho de 2027.

Ou seja, além das 16 temporadas jogadas pelo Barcelona, o argentino necessitaria de mais sete para ultrapassar a marca, quase um sinônimo de Pelé — o Rei do Futebol somou 1.281 bolas nas redes adversárias.

Sustentar 43 gols em uma temporada é algo comum para Messi. Desde 2009, quando assumiu de vez o papel de protagonista do Barcelona e se sagrou campeão europeu com Pep Guardiola, o argentino soma mais de 40 gols por ano por Barça e Argentina.

Esta sequência, entretanto, pode ser interrompida justamente na atual temporada, em virtude principalmente da pandemia do novo coronavírus. O craque argentino soma 29 gols e tem poucas partidas pela frente para chegar à "nota de corte" dos 40.

Pela Liga Espanhola, o Barcelona possui apenas mais cinco jogos antes de encerrar a disputa. Na Copa do Rei, a equipe está fora da competição, que tem Real Sociedad x Athletic Bilbao como protagonistas da decisão. Na Liga dos Campeões, o calendário é curto e pode durar apenas mais um compromisso.

O Barcelona ainda se encontra nas oitavas de final e vai encarar o Napoli como mandante (ou em campo neutro) para decidir um lugar nas quartas. No primeiro confronto, as duas equipes empataram por 1 a 1 na Itália, resultado bom para a equipe catalã.

Porém, para adequar o calendário, a Uefa decidiu reduzir as fases seguintes da Champions League. Ao invés de cinco jogos (dois pelas quartas, dois pela semi e a grande decisão), Messi poderá ter apenas mais três, caso chegue até a disputa direta pelo título europeu.

A fase final da Champions, em jogos únicos de quartas de final, semifinal e final, será disputada em Lisboa entre 12 e 23 de agosto. Desde que, claro, se sustente o controle do novo coronavírus em Portugal.

Messi Barcelona - REUTERS/Albert Gea - REUTERS/Albert Gea
Messi comemora com Sergio Busquets o gol 700 da carreira. Próxima meta? Os 800.
Imagem: REUTERS/Albert Gea

Com nove jogos pela frente no máximo, Messi precisaria superar a média de um gol por partida nesta maratona pós-retomada para ultrapassar a casa dos 40 gols em 2019/2020.

Números difíceis, ainda mais diante da atual fase do Barça, que venceu uma das últimas quatro partidas e empatou três de seis confrontos após a volta do futebol espanhol.

Leo Messi tem o título nacional e a casa dos 40 gols por ano ameaçados. Pensando no futuro, situações que podem atrapalhar diretamente a já difícil caça pelo milésimo.

Barcelona