PUBLICIDADE
Topo

Jô expõe 'coração corintiano' e ameniza problema financeiro em apresentação

Atacante Jô vestirá a camisa 77 em sua terceira passagem pelo Corinthians - Agência Corinthians
Atacante Jô vestirá a camisa 77 em sua terceira passagem pelo Corinthians Imagem: Agência Corinthians

Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo (SP)

25/06/2020 13h42

O atacante Jô foi apresentado hoje (25) oficialmente como novo reforço do Corinthians. O campeão brasileiro de 2005 e 2017 pelo Timão assinou contrato por três anos e meio. O atleta de 33 anos expôs seu "lado torcedor na coletiva online e amenizou qualquer problema financeiro do clube de Parque São Jorge.

"Eu já deixei claro que a parte financeira não ia interferir, pra mim, em nada. Tenho um carinho e uma gratidão pelo clube. Hoje em dia, não é só o Corinthians, é o mundo inteiro (que vive problemas financeiros). A gente precisa entender o momento, mas saber que é o Corinthians, um clube que sempre arcou com suas responsabilidades. Para mim, isso não foi um empecilho", afirmou Jô.

Jô deixou claro que nem estudou outras propostas antes de fechar com o Alvinegro. O atacante enfatizou diversas vezes em coletiva o seu "coração corintiano" e de toda sua família.

"Eu sou corintiano, sempre acompanhei mesmo fora do clube. Desde que saí, até a pandemia, vi os jogos. Ainda vai haver muitas comparações. O Corinthians tinha um modelo de jogo há anos, e hoje o trabalho do Tiago é novo, ele está implementando, requer paciência. Mas é um estilo mais jogado, de pressão alta. Temos que nos adaptar. É um bom trabalho, mas requer um tempo.

"O meu pai está muito feliz. De vez em quando eu dou uma travada nele. Não posso contar muitas coisas da minha vida porque ele adora contar. Ele sabe disso (risos). Mas não só ele, minha mãe, minha irmã, a família é toda corintiana. Vou poder dar continuidade na minha história com o clube", completou.

Segundo revelou a De Primeira, Jô não receberá o teto salarial no Corinthians. Ele praticamente terá o mesmo salário que o clube pagava a Vagner Love, que rescindiu contrato com o Alvinegro recentemente. O reforço ganhará menos de R$ 600 mil mensais, somando salário e luvas (premiação pela assinatura contratual) diluídas no contrato — valor inferior ao teto salarial do clube. Hoje, apenas três jogadores que recebem mais do que R$ 600 mil no Alvinegro: Cássio, Fagner e Gil. O meia Luan, por exemplo, tem ordenado equivalente ao de Jô. Love, por sua vez, recebia R$ 520 mil mensais.

Futebol