PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Aílton relembra gol em Fla-Flu de 1995: 'Joel não queria que eu chutasse'

Ailton chuta para "marcar" gol de barriga de Renato Gaúcho np título carioca de 1995 do Fluminense - Acervo Flu Memória
Ailton chuta para "marcar" gol de barriga de Renato Gaúcho np título carioca de 1995 do Fluminense Imagem: Acervo Flu Memória

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

25/06/2020 04h00

O título do Campeonato Carioca de 1995 é um dos mais importantes da história do Fluminense. O gol de barriga de Renato Gaúcho sobre o rival Flamengo marcou época, e se tornou um dos mais famosos do futebol brasileiro. Mas na súmula, o autor do gol que deu o título ao Flu foi Aílton.

Árbitro da partida, Leo Feldman insiste até hoje que a bola entraria mesmo sem a famosa barriga de Renato. Nos registros oficiais, então, o herói tricolor foi o camisa 8, que marcou um golaço após tirar Charles Guerreiro para dançar na ponta direita. Amigo do "Rei do Rio" de 1995, o meia topou "dividir" o momento com o craque.

"É gol com nome, 'gol de barriga', né? E todo mundo diz que é do Renato. Mas o que consta na súmula não é isso! O gol é meu, mas eu divido com ele, porque é meu parceiro e foi muito importante para a gente", brincou.

Hoje coordenador técnico de transição entre a base e o profissional do Fluminense, 25 anos depois do título, Aílton relembra que o técnico Joel Santana "torceu" para que ele não chutasse aquela bola.

"Depois do jogo, o Joel falou que gritou assim: 'Ailton, de esquerda não, de esquerda não!', bem na hora do lance. Ele não queria que eu chutasse, ali, de esquerda. Ainda bem que eu cortei para dentro, mas bati de direita. Acho que estávamos tão iluminados que devo ter ouvido a voz do Joel para bater certo", contou.

Desacreditado e há uma década sem ser campeão, o Fluminense de 1995 chegou como azarão na fase final daquele Carioca. O "time de operários" contava com um "gordinho" com a camisa 7, e, no fim, a barriga fez diferença.

"Me considero herói, mas com o grupo todo. Todos são heróis. Nós batalhamos uma guerra muito difícil, vencemos adversários muito fortes e conseguimos o objetivo. Estávamos há dez anos sem vencer o Estadual, e vencemos. A bola só entrou porque o Renato estava gordinho, ele tentou esconder a barriga (risos), mas bateu nele e entrou. Não sei se entraria direto, mas o importante é que entrou e vencemos o título".

E se o gol foi do meia, a lei do ex foi aplicada já em 1995, já que Ailton atuou por seis anos no Flamengo, onde se tornou campeão da Copa União de 1987 e da Copa do Brasil de 1990. O gostinho de marcar o nome na história do Flu, entretanto, foi inesquecível para ele.

"É muito bom ganhar de um rival tão grande como é o Flamengo, com o time que tinha, principalmente. Respeito os clubes que joguei. Mas ser campeão é sempre muito bom. Foram seis anos de Flamengo, mas sem dúvida, pelo Fluminense dei o meu melhor e saímos com uma taça que marcou nosso nome na história do clube. Esse gosto não tem preço", lembrou.

Fluminense