PUBLICIDADE
Topo

Time de Marta deixa campeonato após 10 casos de covid-19

Orlando Pride, de Marta, se retirou de campeonato após seis jogadoras e quatro funcionários testarem positivo - Orlando Pride/Divulgação
Orlando Pride, de Marta, se retirou de campeonato após seis jogadoras e quatro funcionários testarem positivo Imagem: Orlando Pride/Divulgação

Do UOL, em Porto Alegre

23/06/2020 11h24

O Orlando Pride, time em que Marta atua, deixou a disputa da Challenge Cup, da NWSL (Liga norte-americana feminina), depois de seis jogadoras e quatro funcionários testarem positivo para o novo coronavírus.

Segundo o jornal The Guardian, o grupo não mantinha regras de isolamento social e frequentaram festas e bares com a reabertura gradual do estado da Flórida. Por isso, segundo a publicação, o clube não crê que o contágio houve durante treinamentos.

A NWSL é o primeiro campeonato de esporte coletivo a voltar nos Estados Unidos. O torneio será retomado no sábado, em Utah.

Segundo a Liga, haverá uma nova bateria de testes para comprovar os resultados. O Pride, porém, se retira em razão do pouco tempo de preparação.

Os nomes das jogadoras e dos funcionários que testaram positivos não foram revelados. O grupo permanecerá em quarentena pelos próximos 14 dias.

"A saúde e a segurança de nossas jogadoras e funcionários são a nossa prioridade número um e nossos pensamentos estão com as jogadoras e funcionários que lutam contra essa infecção, bem como com todo o clube de Orlando que foi impactado como resultado", disse a comissária da NWSL Lisa Baird.

"Obviamente, esse foi um resultado difícil e decepcionante para nossas jogadoras, nossa equipe e torcedores, mas essa é uma decisão que foi tomada para proteger a saúde de todos os envolvidos na Challenge Cup", disse a vice-presidente do Orlando Pride, Amanda Duffy, ao site oficial do clube. "Enquanto todos estávamos empolgados em ver o Pride 2020 em campo neste fim de semana, nossa prioridade agora é garantir que nossas jogadoras e equipe se recuperem com segurança e forneçam qualquer suporte, sempre e possível", completou.

Futebol feminino