PUBLICIDADE
Topo

'O jogador mais diferente com que trabalhei foi Daniel Alves', diz Diniz

O técnico Fernando Diniz durante treino do São Paulo - Marcello Zambrana/AGIF
O técnico Fernando Diniz durante treino do São Paulo Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/06/2020 22h40

O treinador Fernando Diniz, do São Paulo, afirmou que Daniel Alves — atual camisa 10 do clube tricolor — é o melhor atleta com quem já trabalhou. O técnico destacou a capacidade técnica e de liderança do atleta. Diniz ainda ressaltou que desenvolveu uma relação muito especial com o lateral direito.

"O jogador mais diferente com quem eu já trabalhei foi o Daniel Alves. As pessoas o conhecem pouco. Além de ser um grande jogador, ele tem uma grandeza como pessoa que ele gosta de compartilhar com os outros. Ele faz o ambiente seguir o ritmo que ele gosta de impor. A gente tem uma química relacional muito interessante. Ele é muito diferente jogando e convivendo. Enxerga a parte técnica, tem liderança e experiência. Tem sido uma honra trabalhar com ele", declarou em entrevista a Caio Ribeiro, no Caioba Game Show, do site da Globo.

Retorno do futebol

Ainda em sua participação na atração, Diniz opinou sobre o retorno do futebol. O treinador acredita que as autoridades devem ser ouvidas.

"Acredito que a gente tem que respeitar as autoridades, mesmo que os governos estejam agindo de maneiras diferentes. É um momento de preservação da vida. A gente não tem que colocar o futebol acima da vida de ninguém. O futebol está bem abaixo disso. A gente tem que ter cuidado agora. Como a gente tem mais dúvida que certeza, é um tempo de ponderação. Eu sou muito atirado em muitas áreas da minha vida, mas nesse momento as variáveis são conflitantes e temos mais dúvidas que certezas. Acho que a atitude tomada em São Paulo foi correta", ponderou.

Para Fernando Diniz, será essencial que seu elenco tenha no mínimo 30 dias de treino antes do retorno das competições. O treinador afirmou que esta deve ser uma briga da comunidade do futebol, pensando na saúde dos atletas.

"O que a gente tem que exigir a partir do dia 1º de julho é pelo menos um mês de treino. Os jogadores estão há 100 dias sem treinar. Não dá para marcar jogo com 15 dias de treino. A gente vai voltar com alguns protocolos. Se na Alemanha e na Inglaterra eles prepararam os jogadores por tanto tempo e a gente tem visto tantas lesões, imagina se fizermos isso com pressa. Temos que cobrar isso como comunidade do futebol", completou.

UOL Esporte vê TV