PUBLICIDADE
Topo

Bi da Libertadores do Inter teve vitória política para semi com São Paulo

Tinga foi um dos três reforços do Internacional para reta final da Libertadores de 2010 - Divulgação/Cruzeiro
Tinga foi um dos três reforços do Internacional para reta final da Libertadores de 2010 Imagem: Divulgação/Cruzeiro

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

21/06/2020 04h00

O segundo título da Copa Libertadores do Internacional foi conquistado diante do Chivas-MEX, em 2010, mas uma vitória nos bastidores foi decisiva para o time de Celso Roth. Durante recesso da Copa do Mundo, a diretoria colorada pediu aumento no número de trocas entre as fases do torneio e também antecipação da janela de transferências internacionais no Brasil. Conseguiu as duas coisas e pôde inscrever reforços para a reta final da competição.

Renan, goleiro revelado no Beira-Rio e que voltou da Espanha, Tinga e Rafael Sobis foram os reforços contratados, inscritos e regularizados graças à vitória política nos bastidores.

O Inter chegou a pedir ajuda de dirigentes da CBF para articular politicamente a solicitação. O assunto foi parar em mesas da Conmebol na África do Sul, em meio à Copa do Mundo.

Renan foi contratado para substituir Abbondanzieri, histórico goleiro do Boca Juniors que havia apresentado queda de rendimento no primeiro semestre da temporada. Tinga deixou o Borussia Dortmund para encaixar no meio-campo. E Rafael Sobis era trunfo para o ataque.

Rafael Sóbis comemora o gol do Inter contra o Chivas na final da Libertadores - Nabor Goulart/Freelancer - Nabor Goulart/Freelancer
Imagem: Nabor Goulart/Freelancer

As investidas do Inter foram tão exitosas que a Conmebol liberou a inscrição do trio nas vagas de Walter, Kleber Pereira e Thiago Humberto. Na CBF, o pedido para antecipar a janela precisou de aval da Fifa — que liberou a alteração no calendário em 17 de julho daquele ano.

O período de inscrições para jogadores contratados de clubes do exterior permitiu que o trio de reforços do Inter tivessem condições legais de encarar o São Paulo, na semifinal da Libertadores. Renan foi titular no jogo disputado no estádio Beira-Rio e Rafael Sobis entrou no decorrer da partida que terminou 1 a 0 para o time gaúcho. No segundo embate, Renan e Tinga saíram jogando e Sobis nem entrou. Assistiu de fora a derrota por 2 a 1 que não eliminou os colorados.

Na decisão, todos os contratados jogaram — seja no México ou em Porto Alegre. No Brasil, eles foram titulares e Sobis decisivo ao marcar um dos gols da vitória por 3 a 2.

Futebol