PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Covid-19: Geninho diz entender demissão do Vitória por crise financeira

Letícia Martins/EC Vitória
Imagem: Letícia Martins/EC Vitória

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

20/06/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Vitória demitiu ontem (19) o técnico Geninho por dificuldades financeiras
  • Treinador disse entender a sua saída: "situação do clube não é boa"
  • Geninho estava no clube baiano desde setembro do ano passado

Mesmo com o futebol brasileiro paralisado — exceção feita ao Campeonato Carioca, que foi retomado na última quinta-feira (18) -, o Vitória anunciou ontem (19) a saída do técnico Geninho, que assumiu o comando em setembro do ano passado e ajudou o time baiano a escapar do rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro.

A versão publicada pelo Vitória nas redes sociais, de que a demissão aconteceu por dificuldades financeiras, foi confirmada pelo treinador em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

Segundo Geninho, ele já havia aceitado uma redução de 90% em seu salário logo no começo da pandemia do novo coronavírus.

"Quando começou a pandemia, a gente conversou, eu mesmo reduzi o meu salário em 90%, e ficou acertado que, na retomada, voltaria o meu salário normal. E as coisas que já não estavam bem na parte financeira, no momento da paralisação, pioraram. Eles não iam conseguir cumprir, lamentou Geninho.

"Nós não chegamos nem a conversar sobre uma nova redução porque o presidente [Paulo Carneiro] nem abriu essa possibilidade, já veio, praticamente, com a decisão tomada em relação ao meu desligamento. E o argumento era justo, o clube passa por um momento difícil, e ele foi muito claro comigo. E eu entendi. 'Se é isso que vocês querem, tudo bem'", acrescentou.

De acordo com Geninho, ele mesmo já vinha convivendo com salários atrasados no clube, situação essa que acabou ficando quase que insustentável com a pandemia e a paralisação do futebol.

"Eles já estavam tendo muita dificuldade. Lá já está tudo atrasado. Eu mesmo já não recebo, o que eu tinha pra trás... As coisas realmente não estavam boas. Ele [Paulo Carneiro] não mentiu. A situação no clube não é boa. Ele herdou uma herança meio braba, e nessa parada tem estourado algumas coisas que ele não esperava. Foi um argumento justo e, a mim, só me cabe entender, concordar e pronto", afirmou.

Passagem positiva

Depois de ter ajudado a equipe a escapar do rebaixamento à Série C no ano passado, Geninho agora deixa o Vitória vivo tanto na Copa do Nordeste como na Copa do Brasil. Na competição regional, a equipe está praticamente classificada às quartas de final, enquanto no torneio nacional o time perdeu para o Ceará por 1 a 0 no primeiro jogo da terceira fase e ainda tem a partida de volta, em Salvador. Vale lembrar que o Vitória vinha utilizando o sub-23 no Estadual, sem Geninho no comando.

"Não teve nada a ver com parte técnica, até porque o começo desse ano estava muito bom. O ano passado foi excepcional, porque tinha quase 90% de chance de cair e não caiu. E nesse ano começamos bem, estamos classificados para as quartas de final da Copa do Nordeste, quarta fase da Copa do Brasil [a vaga ainda não foi garantida]...", recorda Geninho, que ainda brincou sobre a recente demissão.

"Mas é melhor ter sido mandado embora por isso do que por resultado [risos]", completou.

Futebol