PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Atlético-MG vê economia de R$ 2 milhões na folha com saídas de atletas

Alexandre Mattos, diretor de futebol do Atlético-MG, vê economia de R$ 2 milhões com as saídas no mercado - Bruno Cantini / Agência Galo / Atlético
Alexandre Mattos, diretor de futebol do Atlético-MG, vê economia de R$ 2 milhões com as saídas no mercado Imagem: Bruno Cantini / Agência Galo / Atlético

Do UOL, em Belo Horizonte

14/06/2020 13h05

O Atlético-MG se reforça no mercado da bola. O zagueiro Bueno, os volantes Alan Franco e Léo Sena e o atacante Marrony já estão praticamente certos com o clube. Júnior Alonso e Keno ainda podem chegar à Cidade do Galo. Mesmo com o número elevado de contratações, a diretoria não crê em aumento da folha salarial — avaliada em cerca de R$ 6 milhões com os cortes por causa da pandemia do novo coronavírus.

Alexandre Mattos, diretor de futebol do clube mineiro, explica a situação e aponta uma economia de R$ 2 milhões com as dispensas após a chegada de Jorge Sampaoli.

"Muita gente diz: 'ah, o Atlético tem dívida, deve salário, mas está contratando'. Sim. Mas, para isso, fizemos uma engenharia financeira. Já saíram aproximadamente 18 jogadores. Alguns outros estão em acordos. Nisso se abriu quase R$ 2 milhões da folha de pagamento do Atlético. Ou seja, jogadores que podem vir, não vão acrescentar na folha de pagamento. Vão entrar na lacuna de outros jogadores", disse à Rádio Itatiaia.

O Galo rescindiu com dois atletas nos últimos dias: o volante Lucas Cândido e o meia-atacante Dodô. Além disso, cerca de 230 funcionários foram desligados do clube.

Atlético-MG