PUBLICIDADE
Topo

Lisca quer se afastar de rótulo de doido, mas diz: 'Loucos são os melhores'

Lisca, quando treinou o Ceará - Gabriel Machado/AGIF
Lisca, quando treinou o Ceará Imagem: Gabriel Machado/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

09/06/2020 21h19

Treinador do América-MG, Lisca declarou que está tentando se afastar de seu apelido de 'Doido'. Por mais que seja um apelido carinhoso, dado por torcedores, o técnico afirmou que a alcunha não é bem vista pelos maiores clubes na hora de fechar negócio com ele e já atrapalhou algumas negociações.

Apesar de querer se afastar do apelido, Lisca não quer fugir da personalidade, uma vez que acredita que os melhores treinadores carregam um pouco de loucura consigo.

"Sobre esse negócio de doido, só eu sou doido, né? O Sampaoli é certinho. O Jesus é comportado. O Felipão, então, de doido não tem nada. O Luxa, pelo amor de Deus. Então, já cheguei à conclusão que treinador bom tem que ser doido mesmo. Eu estou tentando tirar isso, mas o pessoal não ajuda", declarou em entrevista ao Expediente Futebol hoje.

Lisca ainda falou sobre como o rótulo influencia em sua relação com o jogadores, que normalmente se surpreendem com sua metodologia. O treinador afirmou que gostaria de ser mais reconhecido pelo seu trabalho que pela sua parte festiva.

"É legal a relação com os jogadores. Eles ficam curiosos por conta da minha relação com a torcida, mas quando eu chego e implanto a metodologia e a gestão de grupo, isso ajuda a criar uma relação diferente do que eles esperavam. Estou tentando tirar o pé nessa parte da festa, até para o pessoal lembrar mais da parte do trabalho. Lá no Ceará, por exemplo, o pessoal lembra muito da parte da festa, mas poucos lembram que a gente assumiu o time em vigésimo e deixei o time em sétimo. Nas 26 rodadas que eu fiquei lá, foi uma campanha de Libertadores. (...) Ninguém fala isso, só falam do Doido. Então, é uma coisa que eu estou tentando mudar", completou.

UOL Esporte vê TV