PUBLICIDADE
Topo

Infantino cita ideia de teto salarial no futebol e pede cuidado com torcida

Gianni Infantino, presidente da Fifa - VCG/VCG via Getty Images
Gianni Infantino, presidente da Fifa Imagem: VCG/VCG via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

06/06/2020 17h03

Gianni Infantino, presidente da Fifa, citou hoje algumas propostas que ouviu nos últimos meses e considerou "interessantes". As ideias mencionadas por ele envolvem um possível teto salarial no futebol e limites aos valores pagos por transferências de atletas.

"Quanto aos aspectos financeiro e de governança, também ouvi algumas propostas interessantes, sobre diferentes assuntos: desde tetos salariais e limites aos valores pagos por transferências, ou outros métodos de taxação, até uma possível obrigação para entidades reguladoras, organizadores de competições e clubes de manterem reservas ou contribuírem para um fundo de reservas que possa servir como assistência em momentos de necessidade como agora", afirmou.

A declaração foi feita em carta enviada a 211 federações e à imprensa. Porém, é importante ressaltar que Infantino não disse se tais medidas serão implementadas; o presidente da Fifa apenas limitou-se a dizer que estas ideias são "interessantes".

O que ele disse defender, de fato, é a aplicação de regras "mais claras e rígidas" para regulamentar o mercado de transferências para impor "transparência absoluta a todo o ecossistema do futebol".

"Pessoalmente, eu defendo uma regulamentação financeira mais clara e rígida, que imponha transparência absoluta e princípios de boa governança não só ao mercado de transferências, mas a todo o ecossistema do futebol. A Fifa já tem trabalhado muito nessa área, mesmo que às vezes tenhamos de enfrentar interesses escusos que lutam contra o nosso apelo por melhor governança no nosso esporte. Meus caros amigos, nós precisaremos de todo o seu apoio e comprometimento para levarmos a governança do futebol mundial a um nível mais alto", disse Infantino.

Em relação à pandemia do novo coronavírus, que paralisou o futebol na maioria dos países do Ocidente —incluindo o Brasil, que ainda não retomou o calendário do esporte—, o presidente da Fifa declarou que confia nas decisões tomadas pela federação de cada país e que a avaliação da OMS (Organização Mundial da Saúde) é fundamental.

futebol coronavírus - Fernando Moreno/AGIF - Fernando Moreno/AGIF
Imagem: Fernando Moreno/AGIF

Porém, ele também defendeu que é preciso ter paciência para levar os torcedores aos estádios novamente.

"Não nos esqueçamos de que sempre deve haver um lugar para os torcedores. O futebol sem espectadores, claramente, não é a mesma coisa. Mas devemos ser pacientes ao considerar o momento certo de trazer os torcedores de volta aos estádios. Continuaremos a trabalhar incansavelmente, mas também de maneira discreta e respeitosa, para superar estas medidas temporárias e assegurar-nos de que os torcedores sejam recebidos de volta de um modo seguro e responsável", comentou.

O plano de auxílio financeiro elaborado pela cúpula mais alta da Fifa deve ser apresentado ao Conselho da entidade em breve, e Infantino promete que este suporte deve incluir também o futebol feminino.

"Estamos desenvolvendo um sistema que possamos gerenciar, mas que também seja baseado nas necessidades existentes. Queremos que o plano de assistência financeira tenha um amplo alcance e inclua também o futebol feminino, enquanto possa operar de forma moderna, eficiente e transparente. Isso significa ter uma sólida estrutura de governança que exija prestação de contas sobre como os fundos serão utilizados", completou.

futebol alemanha - Reprodução/Twitter/Borussia Dortmund - Reprodução/Twitter/Borussia Dortmund
O futebol já voltou na Alemanha, mas sem torcida
Imagem: Reprodução/Twitter/Borussia Dortmund

Leia a íntegra da carta de Infantino:

Caros amigos,

Primeiramente, espero que vocês, suas famílias e amigos estejam em segurança — bem e com saúde. Ainda que distantes, seguimos juntos como uma só equipe. E juntos apoiamos aqueles que têm sofrido durante estes tempos tão difíceis.

Depois da minha mais recente mensagem, gostaria de aproveitar esta ocasião para atualizá-los a respeito de algumas atividades da FIFA, a começar com um agradecimento ao Bureau do Conselho por seu trabalho ao longo dos últimos dois meses.

Vocês viram as recomendações médicas que publicamos na semana passada como material de apoio para o caminho que nos levará ao reinício das competições, sempre com um princípio fundamental em mente: a saúde vem em primeiro lugar! A possibilidade de optar por cinco substituições tem o mesmo propósito: proteger a saúde — neste caso, dos jogadores.

Temos que manter a saúde pública como prioridade, sem esquecermo-nos do bem-estar de jogadores, árbitros e todos aqueles que participam de qualquer atividade relacionada ao futebol.

A FIFA confia na avaliação da situação que vocês fizeram ou farão junto aos governos e autoridades de saúde de seus respectivos países. Esperamos que a ferramenta para avaliação de riscos da OMS e as nossas diretrizes possam ajudá-los na tarefa de tomar a melhor decisão.

O futebol está de volta, ou prestes a retornar, em vários países. Isso traz esperança com relação ao futuro para todos nós e para os torcedores mundo afora. No entanto, é preciso entender e respeitar as diferentes decisões, particularmente aquelas tomadas por quem ainda necessita de mais tempo para assegurar-se de que o retorno às competições será feito de um modo seguro para todos.

Eu apoio — a FIFA apoia — cada um de vocês. Não existe uma só resposta certa, válida para todas as situações. Cada país é diferente, com diferentes contextos, e ninguém melhor do que vocês para saber qual é a maneira mais adequada de lidar com este enorme desafio. Tolerância e compreensão são importantes, especialmente nestes tempos.

E não nos esqueçamos de que sempre deve haver um lugar para os torcedores. O futebol sem espectadores, claramente, não é a mesma coisa. Mas devemos ser pacientes ao considerar o momento certo de trazer os torcedores de volta aos estádios. Continuaremos a trabalhar incansavelmente, mas também de maneira discreta e respeitosa, para superar estas medidas temporárias e assegurar-nos de que os torcedores sejam recebidos de volta de um modo seguro e responsável.

Caros amigos... este é um momento para trabalharmos juntos. Para compartilharmos experiências e ajudar-nos uns aos outros. É também por meio dessa solidariedade que encontraremos soluções para construir um futebol melhor para o futuro.

Compreensivelmente, a necessidade de retomar as principais competições profissionais de clubes tomou prioridade. No entanto, é preciso que também consideremos as seleções, o futebol feminino, os campeonatos nacionais de divisões inferiores, além das competições juvenis e de base. Devemos mostrar união em todos os aspectos do futebol e assegurar-nos de que o futebol possa ser retomado em sua globalidade. Esta é nossa prioridade, e nosso plano de assistência financeira também seguirá este princípio.

É com um espírito construtivo, buscando sempre consultar para o bem de todo o futebol, que a FIFA tem trabalhado duro para apresentar uma solução positiva aos membros de seu Conselho nas próximas semanas.

Estamos desenvolvendo um sistema que possamos gerenciar, mas que também seja baseado nas necessidades existentes. Queremos que o plano de assistência financeira tenha um amplo alcance e inclua também o futebol feminino, enquanto possa operar de forma moderna, eficiente e transparente. Isso significa ter uma sólida estrutura de governança que exija prestação de contas sobre como os fundos serão utilizados.

No que diz respeito a outro assunto de enorme importância, o calendário internacional, é com prazer que lhes comunico que progredimos bastante. Em consulta com diferentes partes interessadas, estamos mais perto de apresentar uma solução equilibrada, que leva em consideração os desafios e necessidades de todos.

Já várias vezes mencionei esta palavra: "consulta". Se podemos tirar um elemento positivo desta situação, é certamente que — graças a vocês e através da FIFA — o futebol definitivamente criou um canal de diálogo e discussão, aberto e saudável, para todos os aspectos do nosso esporte.

Caros amigos... um tempo atrás eu disse que este poderia ser um momento para dar um passo atrás e refletir. Fiquei contente ao ver que vários dirigentes e executivos do futebol, mas também treinadores e jogadores, apresentaram-se e expressaram seus pontos de vista. Eu tive muitas discussões interessantes com vários de vocês.

Para dar sequência a este brainstorming coletivo, vou organizar uma série de discussões online e, assim, assegurar que as vozes de todos vocês — assim como as de outros importantes atores neste processo — sejam ouvidas.

Eu acredito francamente que nosso futuro só pode ser construído por meio de discussões com vocês, as federações-membro da FIFA. Porque vocês são a FIFA. E nós não vamos tomar decisões em nenhuma reunião fechada, entre um pequeno grupo de pessoas. Esses tempos, definitivamente, acabaram! Agora é a sua vez. E nós queremos ouvir os seus pontos de vista em assuntos importantes como o futuro do calendário internacional e das competições:

  • Como devemos tratar o aumento no número de partidas disputadas por jogadores de alto nível? Quantas partidas por temporada um jogador deve disputar?
  • Como devem ser organizadas as nossas competições no futuro: no nível da FIFA, no nível nacional...?
  • E como podemos harmonizar o calendário e as competições entre os diferentes continentes, visto que o futebol tem se tornado cada vez mais global?

Quanto aos aspectos financeiro e de governança, também ouvi algumas propostas interessantes, sobre diferentes assuntos: desde tetos salariais e limites aos valores pagos por transferências, ou outros métodos de taxação, até uma possível obrigação para entidades reguladoras, organizadores de competições e clubes de manterem reservas ou contribuírem para um fundo de reservas que possa servir como assistência em momentos de necessidade como agora.

Pessoalmente, eu defendo uma regulamentação financeira mais clara e rígida, que imponha transparência absoluta e princípios de boa governança não só ao mercado de transferências, mas a todo o ecossistema do futebol. A FIFA já tem trabalhado muito nessa área, mesmo que às vezes tenhamos de enfrentar interesses escusos que lutam contra o nosso apelo por melhor governança no nosso esporte. Meus caros amigos, nós precisaremos de todo o seu apoio e comprometimento para levarmos a governança do futebol mundial a um nível mais alto.

Acho que estes e outros projetos, medidas e ideias devem ser discutidos em todos os níveis. Sei que é algo que vai desencadear um debate intenso, mas o debate, afinal, é algo saudável. Devemos falar sobre tudo isto juntos, porque juntos é que passamos por este momento difícil.

A cada um de vocês, meus caros amigos, por favor, mantenham-se em segurança e cuidem de suas famílias e amigos. Vamos continuar a trabalhar para o bem do futebol, porque juntos nós vamos vencer.

Futebol