PUBLICIDADE
Topo

Belluzzo recorda suspensão e diz que não perderá tempo com Mustafá e Nobre

Luiz Gonzaga Belluzzo, economista e professor da Unicamp - Fabio Braga/Folhapress
Luiz Gonzaga Belluzzo, economista e professor da Unicamp Imagem: Fabio Braga/Folhapress

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/06/2020 14h52

Ex-presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo não perderá seu tempo com os ex-mandatários Paulo Nobre e Mustafá Contursi. Recordando, durante o Os Donos da Bola de hoje, sua suspensão do Alviverde, Belluzzo disse não ter ressentimentos, mas questionou Nobre por apoiar seu afastamento temporário do clube.

Presidente do Palmeiras em 2009 e 2010, Belluzo foi suspenso por um ano por reprovação de contas no fim de sua gestão.

"Um deles é o Mustafá, e o outro foi o Paulo Nobre. O Paulo Nobre, eu não entendo o porquê, porque eu apoiei o Paulo Nobre na eleição de 2011 contra o Tirone. Vou contar uma história: Eu estava sentado aqui, tinha acabado de sair do hospital, e o Paulo me telefonou dizendo que ia votar pela rejeição das minhas contas, porque senão ele iria ter muitos... Ia ter poucos votos, o que era uma avaliação errada. Eu falei para ele fazer o que achasse melhor. Não quero ser obstáculo nenhum. Se você acha que o meu apoio é ruim, você faça o que você achar melhor", relatou Belluzzo.

Um dos responsáveis pelo contrato do Allianz Parque, o ex-presidente contou que sequer foi convidado para a inauguração da casa alviverde.

"É muito estranho, mas isso é uma dimensão da condição humana. O Paulo Nobre não me convidou para a inauguração da Arena. Não fui convidado. Tive que assistir da minha casa. No dia que nós jogamos contra o Sport, perdemos, eu ficava vendo os palmeirenses chegando no estádio, olhando, alguns chorando de emoção. Eu fiquei aqui na minha casa vendo isso porque não fui convidado", disse Belluzzo, que completou:

"Eu não tenho nenhum ressentimento, nem acho que é importante eu ter alguma diferença com o Paulo Nobre. Para mim, não tem o menor significado. Eu tenho outras coisas para pensar na vida. Não vou ficar perdendo o meu tempo com quizilas com o Paulo Nobre e com o Mustafá. Isso não enriquece o espírito de ninguém".

UOL Esporte vê TV