PUBLICIDADE
Topo

Marco Aurélio Cunha explica saída da CBF e planeja 'São Paulo do futuro'

Marco Aurélio Cunha é coordenador de futebol feminino da CBF - Lucas Figueiredo / MoWA Press
Marco Aurélio Cunha é coordenador de futebol feminino da CBF Imagem: Lucas Figueiredo / MoWA Press

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/06/2020 15h22

Após deixar o cargo de coordenador de seleções femininas da CBF, Marco Aurélio Cunha admitiu que seu próximo objetivo é concorrer à presidência do São Paulo.

Convidado do Fox Sports Rádio de hoje, Marco Aurélio explicou que seu desligamento da entidade máxima do futebol brasileiro foi estudada e debatida com o presidente Rogério Caboclo. Em relação à eleição no Tricolor, o médico afirmou que tentará formalizar sua candidatura para concorrer com Julio Casares.

"Eu vinha construindo isso há algum tempo. Eu fiz cinco anos de CBF em maio, havia a Olimpíadas para ser disputada em julho, nós tínhamos amistosos, tinha toda uma vida programada para este ano. E com o adiamento da Olimpíada, com a situação que nós estamos vivendo, eu entendi que era o momento de deixar a CBF e ir para outros planos", comentou Marco Aurélio, que seguiu:

"Eu já estava conversando com o presidente Rogério há bastante tempo. Não foi uma decisão de ímpeto. Ela foi bem estudada. Obviamente, para eu poder ter interesse em participar da vida política de um clube, eu tinha que me desligar, por questão ética, do comando maior do futebol brasileiro".

Em busca do 'São Paulo do futuro', Cunha colocou seu nome à disposição da oposição:

"Eu tenho esse projeto de poder ajudar o meu clube, que me ajudou tanto. Eu quero, quem sabe poder contribuir com o São Paulo para que a gente planeje o São Paulo do futuro, que é o São Paulo dos sonhos de todos nós, são-paulinos", disse Marco Aurélio.

"Estou apenas oferecendo o meu nome a uma candidatura de oposição. Deixo a CBF mesmo sem essa garantia", seguiu.

No que diz respeito à gestão de Leco, atual presidente, o possível candidato foi breve:

"Acho que o Leco não foi feliz. Eu prefiro dizer só isso sobre a sua gestão, porque eu tenho respeito. Não sou aquele cara que vai ficar maltratando oponentes".

UOL Esporte vê TV