PUBLICIDADE
Topo

Corinthians x Palmeiras adiado reacenderia divergência de clubes em números

Galeano puxa Edilson, durante a partida entre Corinthians e Palmeiras, pela Libertadores de 1999 - Reuters
Galeano puxa Edilson, durante a partida entre Corinthians e Palmeiras, pela Libertadores de 1999 Imagem: Reuters

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

25/05/2020 04h00

Corinthians e Palmeiras tinham data para se enfrentar pelo Campeonato Paulista. O clássico válido pela 11ª rodada estava marcado para o dia 22 de março, mas acabou adiado por causa da pandemia no novo coronavírus.

O primeiro duelo entre os rivais em 2020 traria à tona a divergência entre os clubes em relação ao retrospecto histórico do clássico. Nas contas do Corinthians, existiria a possibilidade de superar o rival depois de décadas atrás. Na visão do Palmeiras, porém, o time ainda tem duas vitórias de vantagem sobre os corintianos.

A diferença na conta dos clubes é de dez partidas. O Palmeiras considera nove confrontos do Torneio Início, disputados entre 1919 e 1969, e um da Taça Henrique Mündel, de 1938. Tais jogos duraram 20 minutos e eram desempatados pelo número de escanteios. Por isso, o Corinthians não os considera.

Sem eles, o retrospecto está empatado, com 127 vitórias para cada, além de 108 empates, segundo dados do Almanaque do Timão, do jornalista Celso Unzelte. Com os dez jogos na conta, o Palmeiras soma 131 triunfos, contra 129 do time corintiano, com 112 empates.

O clássico válido pelo Paulistão ainda não tem data definida para acontecer. Depois de mais de dois meses de paralisação, a Federação Paulista de Futebol (FPF) e os clubes aguardam o aval de autoridades médicas para o retorno às atividades.

Clubes mudaram a postura

Os clubes, entretanto, já enxergaram a situação de outra forma. O jornalista e historiador do Corinthians, Celso Unzelte, autor do Almanaque do Timão, chegou a considerar esses duelos no livro publicado em 2000. No aplicativo de celular, baseado nos dados do livro, porém, eles não foram contabilizados.

"Na primeira publicação eu contava os jogos do Torneio Início, mas me dei como voto vencido, porque os demais pesquisadores não costumam contar", disse o historiador em um vídeo publicado pela ESPN no começo de 2018. "Não computo essas partidas para confronto contra ninguém. Não conto, assim como a maioria dos pesquisadores de futebol não contam", completou Unzelte na ocasião.

O Palmeiras fez o caminho inverso. De acordo com José Roberto Christianini, historiador do clube alviverde, essas dez partidas são contabilizadas pelo "grupo atual de historiadores, que passou a limpo todos os jogos". Segundo ele, isso ocorreu há 12 anos.

O que representavam os torneios?

O Torneio Início teve 48 edições entre 1919 e 1996. Nas últimas seis décadas, porém, a disputa só ocorreu em cinco temporadas. Na última, em 1996, ocorrida após um intervalo de 49 anos, 16 equipes disputaram o título no Palestra Itália.

O Corinthians, por exemplo, disputou três jogos de 20 minutos cada. O time perdeu na semifinal para a Portuguesa, que derrotou o Rio Branco por 1 a 0 na decisão após dois tempos de 15 minutos.

Já a Taça Henrique Mündel reuniu, em 1938, Corinthians, Palmeiras, Portuguesa e São Paulo - o time alvinegro se sagrou campeão. Os times disputaram o troféu após jogos disputados no mesmo dia, mais uma vez no Palestra Itália, com duração inferior a 90 minutos.

Entenda a divergência entre os clubes

A conta do Corinthians
362 jogos
127 vitórias do Palmeiras (517 gols)
108 empates
127 vitórias do Corinthians (481 gols)

A conta do Palmeiras
372 jogos
131 vitórias do Palmeiras (524 gols)
112 empates
129 vitórias do Corinthians (485 gols)

Os jogos da discórdia

Pela Taça Henrique Mündel
1938: Corinthians 0 x 0 Palmeiras

Pelo Torneio Início
1919: Corinthians 0 x 0 Palmeiras
1923: Corinthians 0 x 1 Palmeiras
1926: Corinthians 2 x 1 Palmeiras
1935: Corinthians 0 x 0 Palmeiras
1944: Corinthians 1 x 0 Palmeiras
1954: Corinthians 0 x 0 Palmeiras
1957: Corinthians 1 x 2 Palmeiras
1958: Corinthians 0 x 1 Palmeiras
1969: Corinthians 0 x 2 Palmeiras

Futebol