PUBLICIDADE
Topo

"6 minutos de loucura": Como foi a virada histórica do Liverpool há 15 anos

Jogadores do Liverpool comemoram o título da Liga dos Campeões em 2005 - Carl de Souza/AFP
Jogadores do Liverpool comemoram o título da Liga dos Campeões em 2005 Imagem: Carl de Souza/AFP

Do UOL, em São Paulo

25/05/2020 16h41

Classificação e Jogos

Na tarde do dia 25 de maio de 2005, o Liverpool vencia o Milan de maneira heroica e garantia o título da Liga dos Campeões após 21 anos de jejum. De virada, o time inglês conseguiu levar a partida para os pênaltis depois de estar perdendo por 3 a 0. O jogo foi disputado diante de 72 mil torcedores, no Estádio Olímpico Ataturk, em Istambul, e foi marcado pelos "seis minutos de loucura" dos ingleses na segunda etapa.

Então dirigido por Rafael Benítez, o Liverpool entrou em campo com: Jerzy Dudek; Steve Finnan, Jamie Carragher, John Arne Riise e Diimi Traoré; Sami Hyypia, Xabi Alonso, Luis Garcia, Steven Gerrard e Harry Kewell; Milan Baros. Do outro lado, Carlo Ancelloti armou o Milan com Dida; Cafu, Alessandro Nesta, Jaap Stam e Paolo Maldini; Gennaro Gattuso, Andrea Pirlo, Clarence Seedorf e Kaká; Andriv Shevchenko e Hernán Crespo.

O time italiano abriu o placar antes do primeiro minuto do jogo com Paolo Maldini, que marcou o gol mais rápido da história da Liga dos Campeões. Kaká, em noite inspirada, participou dos próximos dois gols de Crespo, que brilhou e abriu vantagem de 3 a 0 para o Milan no primeiro tempo.

Na segunda etapa, o Liverpool lutou para tirar a vantagem do adversário. Aos 9 minutos do segundo tempo, Gerrard diminuiu de cabeça. A reação dos Reds começara ali. Dois minutos depois, Vladimir Smicer marcou com um chute de fora da área. E o que parecia distante aconteceu: aos 15 minutos do segundo tempo, Xabi Alonso fez o terceiro e empatou a partida. Em seis minutos, chamados de "loucura" por Ancelotti, o Liverpool voltava para o jogo.

O resultado permaneceu o mesmo até o fim da prorrogação, e a decisão foi para os pênaltis. Quem brilhou foi Dudek, que defendeu as cobranças de Pirlo e Shevchenko, e o Liverpool se sagrou campeão ao vencer o desempate por 3 a 2.

Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do informado anteriormente, o gol de Gerrard ocorreu aos 9min do segundo tempo, e não do primeiro. O erro foi corrigido.
O autor do segundo e terceiro gols do Milan foi Crespo, não Shevchenko.