PUBLICIDADE
Topo

Lateral Daniel Guedes mantém contatos com Enderson para reforçar o Cruzeiro

Sem espaço no Santos, lateral direito foi emprestado ao Goiás em 2019 - Divulgação/Goiás Esporte Clube
Sem espaço no Santos, lateral direito foi emprestado ao Goiás em 2019 Imagem: Divulgação/Goiás Esporte Clube

Do UOL, em Belo Horizonte

24/05/2020 04h00

Alvo do Cruzeiro para o restante da temporada, o lateral direito Daniel Guedes segue mantendo contatos com Enderson Moreira. Ainda com seu futuro indefinido no Santos e até mesmo no futebol, o jogador permanece interessado em fazer parte do elenco celeste na disputa da Série B, e espera resolver o impasse na carreira para servir o clube celeste após a volta dos campeonatos.

"O professor Enderson me ligou, perguntando da minha situação e querendo saber o meu interesse de atuar pelo Cruzeiro. Foi uma conversa direta com ele. A partir daí, eu deixei tudo na mão do meu empresário, junto com os diretores do Santos e do Cruzeiro. Existiu uma ligação do professor que me deixou muito feliz. Estou acompanhando isso agora meio que de longe, vendo o meu representante conversar com o pessoal do Santos e do Cruzeiro. Aguardo o desfecho dessa situação", comentou o jogador, em entrevista à Rádio Itatiaia.

Aos 26 anos, Daniel pertence ao Santos, mas está momentaneamente sem poder jogar futebol, mas não só por causa do coronavírus. No ano passado, quando esteve emprestado pelo Goiás, Daniel foi flagrado no doping pelo uso da substância higenamina, que é encontrada em suplementos e acelera o metabolismo. Em setembro, o lateral foi suspenso preventivamente até um novo julgamento, ainda sem data para ser realizado.

"Converso sempre com o meu advogado. A expectativa é que eles entendam que foram muito radicais na decisão e que exista uma liberação o mais breve possível até porque já se passaram quase nove meses. Isso já é o suficiente para o grau de contaminação que existiu de substância da minha urina. A expectativa é que isso termine de uma vez por todas, porque também já deu o que tinha que dar isso daí. Já ficou muito claro que se eu tivesse feito algo errado teria dado muito mais substância do que deu. Espero que isso se resolva logo e eu já seja liberado para poder voltar as atividades normais, porque realmente foi muito doloroso passar por essa situação injusta", acrescentou.

Cruzeiro