PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG reduz salários e suspende acordos de diretores durante pandemia

Sérgio Sette Câmara, presidente do Atlético-MG, fez alterações consensuais nos contratos de diretores do clube - Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
Sérgio Sette Câmara, presidente do Atlético-MG, fez alterações consensuais nos contratos de diretores do clube Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

22/05/2020 13h07

O Atlético-MG fez mudanças nos contratos de membros da cúpula durante a pandemia do novo coronavírus. Diretores remunerados do clube tiveram que ser afastados até agosto ou reduzir os salários pela metade no período. As alterações ocorreram logo após a paralisação do futebol, em meados de março.

O presidente Sérgio Sette Câmara foi quem informou aos principais membros da diretoria sobre as alterações nos vínculos. O problema é que, desde então, os pagamentos estão atrasados e, por enquanto, não há perspectiva de colocar as contas em dia.

Os casos foram estudados conforme as necessidades no cotidiano do clube. Mesmo membros da cúpula que seguem trabalhando, fizeram acordo para reduzir parte da remuneração no decorrer da pandemia. Os nomes foram mantidos em sigilo.

Além das mudanças contratuais de diretores, a diretoria faz uma série de demissões em diversas áreas do clube. A intenção é cortar gastos, conforme as justificativas recebidas por alguns antigos colaboradores. A saída mais recente no futebol foi do preparador físico Luis Otávio Kalil. Diego Tardelli chegou a lamentar o ocorrido na tarde de ontem (21) por meio de seu perfil no Instagram.

As informações sobre as mudanças contratuais e as demissões foram publicadas pela Rádio Itatiaia e confirmadas pelo UOL Esporte.

Atlético-MG