PUBLICIDADE
Topo

Mauro: "Jesus voltou, e o Flamengo não fez coletiva por videoconferência"

Do UOL, em São Paulo

21/05/2020 04h00

Com o futebol parado no Brasil devido à pandemia do novo coronavírus, os torcedores ficaram mais distantes de seus clubes, com pouca promoção de ações com jogadores e aparições que possam ajudar até mesmo a expor a marca dos patrocinadores, como entrevistas na TV e lives nas redes sociais.

No podcast Posse de Bola #33, o jornalista Mauro Cezar Pereira cita uma entrevista a José Colagrossi, do Ibope, criticou os clubes pela falta de aparições mais frequentes de jogadores e técnicos em programas de TV promovidas pelos clubes e não apenas nos próprios canais de redes sociais.

"Ele diz uma coisa que é muito importante: os patrocinadores são escondidos pela maioria dos clubes, eles desaparecem. Porque, se o clube coloca o técnico e o jogador para aparecer na televisão em programa esportivo, mesmo por videoconferência, que é o que é possível, fazer live aqui ou ali, dar entrevista e tal, cada vez que o cara aparece, ele está com a camisa e com o logo do patrocinador, do fornecedor de material esportivo", diz Mauro Cezar (disponível no vídeo acima a partir de 50:38).

"Você compensa minimamente o seu parceiro comercial, que não está aparecendo porque não tem jogo, não tem treino, não tem nada. Onde aparecem as marcas das empresas que patrocinam os times de futebol? Nos jogos, nos treinos e nas coletivas com aquele painel ali atrás, e simplesmente os caras não fazem nada. O Jesus voltou, já tem umas duas semanas que ele está no Brasil, algo em torno disso, e o Flamengo não fez nenhuma coletiva com ele por videoconferência, em que ele aparecesse", completa o jornalista.

Juca Kfouri também critica a falta de ações dos clubes visando a aproximação aos seus torcedores e questiona se não poderiam promover aparições dos jogadores durante o dia.

"O que custa que esses clubes grandes tenham duas vezes por dia, Corinthians ao vivo, ao meio-dia e às 16h, ao meio-dia vai ser o Cássio, e às 16h vai ser o Boselli, no dia seguinte, todo dia. O Flamengo todo dia, duas vezes por dia, o jogador fardado, o jogador com o patrocinador, com um cenário em que os patrocinadores apareçam, em que se sorteie um brinde para o torcedor que esteja vendo, uma camisa de não sei quem, a camisa autografada, o copo com o distintivo do clube. Será que é tão difícil você pensar nisso?", diz Juca.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol