PUBLICIDADE
Topo

Geninho elogia trabalho de Jorge Jesus e diz que não há motivo para ciúmes

Geninho, técnico do Vitória - Letícia Martins/EC Vitória
Geninho, técnico do Vitória Imagem: Letícia Martins/EC Vitória

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/05/2020 19h23

Treinador do Vitória, Geninho foi na contramão de diversos colegas de profissão ao falar sobre o trabalho de Jorge Jesus no Brasil. O técnico do time soteropolitano fez vários elogios ao português e declarou que não tem nenhum motivo para ter ciúme do trabalho do comandante do Flamengo.

"Eu não concordo com aqueles que têm ciúmes do Jorge Jesus ou de qualquer outro treinador. A chegada de grandes treinadores traz coisas boas para a gente. A gente deve aceitar, assim como a gente é aceito fora do país. E temos que ver o que esses profissionais podem somar ao nosso trabalho. E o Jesus está sendo muito feliz. Ele vinha de uma carreira já vitoriosa em Portugal e outros países. Ele veio e implantou uma maneira de jogar que encaixou muito bem com o que o Flamengo tinha na mão", disse em entrevista ao Expediente Futebol, do Fox Sports, hoje.

Geninho foi além nos elogios - ele afirmou que entende que o trabalho de Jorge Jesus em seu primeiro ano pode ser classificado como 'ideal'. O técnico do Vitória acredita que ele conseguiu extrair o melhor das peças que ele tinha à disposição e ressaltou que o português tem grande responsabilidade nas campanhas vitoriosas do Flamengo em 2020.

"Ele fez aquilo que eu entendo ser o trabalho ideal: tentar tirar do grupo, o melhor que o grupo pode dar a partir das características dos jogadores. Ele pegou um time bem montado no Flamengo, trouxe mais algumas peças dentro da sua filosofia, e pôs o Flamengo para jogar de uma maneira que a gente não via há algum tempo no futebol brasileiro. É um time que joga em cima dos adversários, buscando o ataque, abafando a saída de bola, tentando retomar a bola no campo ofensivo e buscando o resultado. A qualidade do grupo ajudou bastante, mas o trabalho do Jesus foi muito importante e não tem por que ter ciúme disso", completou.

UOL Esporte vê TV