PUBLICIDADE
Topo

Marlone muda de posição e rotina na Coreia, mas já ganha prêmio no 2º jogo

Meio-campista está no país desde o começo do ano e entrou em campo duas vezes pelo Suwon FC, da Segunda Divisão - Divulgação
Meio-campista está no país desde o começo do ano e entrou em campo duas vezes pelo Suwon FC, da Segunda Divisão Imagem: Divulgação

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

18/05/2020 04h00

Depois de defender sete clubes diferentes no Brasil, o meia Marlone se mudou no fim do ano para a Coreia do Sul, contratado pelo Suwon FC, da Segunda Divisão do país. Na primeira mudança de país da carreira, o jogador de 28 anos se viu em meio ao foco da pandemia do novo coronavírus no continente asiático. Em adaptação à nova rotina com protocolos de segurança, ele ainda vive novidades em campo.

Desde a pré-temporada, o brasileiro tem sido adaptado à função de segundo volante pelo técnico Kim Do-Kyun. A mudança parece dar resultado, porque Marlone deu as duas assistências da vitória de sábado (16) sobre o Ansan Greeners e ainda saiu eleito como o melhor em campo. No Brasil ele estava mais acostumado a atuar como meia ou atacante aberto.

"Desde a pré-temporada que o treinador observou que eu estava bem fisicamente para fazer essa função de marcar e sair para o jogo, então aqui eu estou fazendo duas funções, de meia-atacante e de segundo volante, dependendo do jogo. Estou satisfeito de poder ajudar a equipe, independentemente da posição", conta, ao UOL Esporte, o camisa 10 do time sul-coreano.

Marlone durante treino do Suwon - Divulgação - Divulgação
Marlone durante treino do Suwon FC
Imagem: Divulgação

Além do jogo deste fim de semana, Marlone também esteve em campo na derrota do Suwon da primeira rodada, contra o Daejeon Hana Citizen, no dia 9. A Coreia do Sul foi o primeiro país relevante no cenário esportivo mundial a retomar os campeonatos de futebol com portões fechados - a Alemanha seguiu o exemplo e já encerrou a paralisação por também ter controlado a pandemia.

Com apenas 13 casos notificados ontem (17), o país ainda se protege contra a possibilidade de uma segunda onda de contaminação, mas aos poucos a vida volta ao normal. "Antes de começar o campeonato definitivamente foram tomados todos os cuidados, inclusive o teste de coronavírus [foi feito] em todos os jogadores e comissão. Os jogos ainda estão sem torcida, com os cuidados de verificação de temperatura e uso de máscara. Eles também indicam não abraçar, apenas um toque no antebraço", conta o meia brasileiro.

Marlone já se vê adaptado à nova vida e ao estilo de jogo do futebol sul-coreano, o que ajuda a explicar o prêmio de melhor em campo ainda no início da passagem pelo Suwon: "Fiquei muito feliz por ter sido escolhido pela minha grande partida e também de toda equipe. A expectativa para a temporada é muito grande e espero fazer um grande ano, com assistências e gols."

Ex-jogador de Vasco, Cruzeiro, Fluminense, Sport, Corinthians, Atlético-MG e Goiás, Marlone tem contrato com o time asiático até o fim do ano.

Futebol