PUBLICIDADE
Topo

Dorival acha que Robinho pode acrescentar ao Santos hoje: "Cada dia melhor"

Treino do Santos, com Dorival Jr. (E), Robinho e Neymar (D) durante treino no CT Rei Pele em 2010 - Ricardo Nogueira/Folhapress
Treino do Santos, com Dorival Jr. (E), Robinho e Neymar (D) durante treino no CT Rei Pele em 2010 Imagem: Ricardo Nogueira/Folhapress

Eder Traskini e José Edgar de Matos

Do UOL, em Santos e em São Paulo

16/05/2020 04h00

Não é novidade que o Santos cogita repatriar o atacante Robinho na metade deste ano. Antes da pandemia do novo coronavírus, o Peixe chegou a estreitar relações com a agente do jogador, em negociação de uma dívida antiga, e ouviu o 'Rei das Pedaladas' aprovar uma possível em sua rede social.

Para o técnico Dorival Júnior, que trabalhou com Robinho no Peixe em 2010, o eterno camisa 7 ainda tem muito a acrescentar em campo aos 36 anos. Juntos, Dorival e Robinho venceram o Paulistão e a Copa do Brasil daquele ano.

"Eu acho que ele teria muito. Acho que o amadurecimento dele veio acontecendo. Ele ainda tem muita coisa pra apresentar. É questão de ele se sentir bem, confortável, confiante e seguro pra jogar. O restante, tecnicamente falando, pelo amor de Deus, não tem nem o que dizer. É um dos jogadores com a bola dominada, que eu vi jogando, que com mais carinho trata essa bola. Com o tempo passando, cada dia ele vai ficar melhor, porque ele vai juntar muito mais com a sua sensibilidade do que, propriamente, com o seu comportamento físico", opinou em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

Atualmente, Robinho defende o Basaksehir, da Turquia, mas seu contrato com o clube acaba neste mês. Para o próprio atacante, a dívida com o Peixe não é um problema.

"Presidente ainda não me pagou. Pode me pagar em 10, 20, 30 ou 50 vezes. Baixo até o salário. Mas vamos conversar como tem que fazer. Eles [Santos] têm interesse. Entraram em contato com a minha advogada. Mas além do interesse não tem mais nada. Meu contrato termina em maio, inclusive, a opção de renovação é deles [Basaksehir]. Não tem nada certo. Única coisa que tem é isso, presidente mostrou interesse em me repatriar", disse o jogador em entrevista recente ao Esporte Interativo.

Desde que saiu do Brasil, em 2017, quando atuava pelo Atlético-MG, o atacante passou pelo Sivasspor e, agora, pelo Basaksehir. Ao todo foram 66 jogos em três anos na Turquia e 16 gols marcados.

Santos