PUBLICIDADE
Topo

Grêmio estuda novo acordo financeiro com elenco durante pandemia

Elenco do Grêmio voltou a treinar no início do mês e já fez acordo para adiar direito de imagem  - Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Elenco do Grêmio voltou a treinar no início do mês e já fez acordo para adiar direito de imagem Imagem: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

15/05/2020 04h00

O Grêmio analisa fazer novo acerto financeiro com o elenco em decorrência da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus. Mais de 40 dias depois de adiar para 2021 a quitação no direito de imagem de quatro meses, a diretoria estuda apresentar proposta nos próximos dias para reduzir algum percentual dos vencimentos dos atletas.

No final de março, os jogadores assinaram acordo adiando o pagamento dos direitos de imagem de abril, maio e junho para o ano que vem. À época, o acerto deu fôlego. Agora o cenário é outro e o Grêmio considera justamente o impacto da crise.

"Naquele primeiro momento, com diagnostico de três meses, achávamos que seria suficiente. Talvez não seja e precisamos ser francos com essas questões. O nível de arrecadação daquele primeiro momento não correspondeu ao nível de arrecadação que veio depois. Contratos foram renegociados, o Grêmio renegociou vários, mas a perda do momento está muito superior às nossas condições. A situação é difícil", disse Romildo Bolzan Jr., presidente do Grêmio, em entrevista ao site oficial do clube.

Do outro lado da cidade, o Internacional anunciou um segundo acordo com o elenco. O Colorado cortou 25% do salário dos jogadores durante a pandemia. Também haverá redução na jornada de trabalho de funcionários, que igualmente receberão menos.

O Grêmio calcula que a inadimplência dos sócios tenha superado 20% em abril e tem sinal de alerta ligado.

A vantagem no orçamento gremista é não contar com receitas de bilheteria — por conta do contrato com a Arena Porto-Alegrense, e assim o impacto da suspensão das partidas tem uma perda a menos. Entretanto, há preocupação com direitos de transmissão.

Além de a Globo ter renegociado o fluxo dos pagamentos de cota do Brasileirão, Grêmio e Inter ainda não receberam a última parcela referente à transmissão do Gauchão. O valor gira na casa de R$ 3 milhões e é considerado importante para contas do dia a dia do clube.

Futebol