PUBLICIDADE
Topo

Como Santos conseguiu maior superávit entre os grandes paulistas em 2019

José Carlos Peres, presidente do Santos, em entrevista coletiva - Ivan Storti/Santos FC
José Carlos Peres, presidente do Santos, em entrevista coletiva Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

10/05/2020 04h00

O Santos não vive boa situação financeira. O próprio presidente José Carlos Peres não cansa de dizer que o Peixe precisa vender jogadores para equilibrar as contas. Mesmo assim, entre os quatro grandes de São Paulo, o clube foi o que atingiu o maior superávit no balanço das contas de 2019 com saldo positivo de R$ 23,5 milhões. A explicação tem nome e sobrenome: Rodrygo Goes.

Vendido ao Real Madrid ainda em 2018, o jogador foi o principal responsável por fazer as contas do Santos fecharem no azul. Enquanto isso, São Paulo e Corinthians tiveram déficits grandes, de R$ 156 milhões e R$ 177 milhões, respectivamente, e o Palmeiras fechou com R$ 1,7 milhão de superávit.

O Menino da Vila foi negociado com o time espanhol por 45 milhões de euros, dos quais 40 (cerca de R$ 172 milhões) foram para os cofres do Santos. Apesar de o negócio ter sido fechado em 2018 com a primeira das duas parcelas paga no ato, o valor não apareceu no balanço daquele ano por regras contábeis, entrando em sua totalidade no balanço de 2019.

Assim, o Santos apontou R$ 215 milhões com vendas de direitos econômicos de jogadores durante a temporada passada, o que foi determinante para o superávit. Vale lembrar que o balanço de 2018 apontou déficit de R$ 77 milhões, justificado pelo diretoria com a não contabilização da primeira parcela da venda de Rodrygo.

Única outro grande do estado a fechar com superávit, o Palmeiras se apoia em outro pilar para encerrar o ano no azul: o patrocinador máster. O valor fixo pago pela Crefisa gira em torno de R$ 81 milhões por ano, atingindo R$ 119 milhões com publicidade somada.

O total arrecadado com patrocínio no Santos em 2019 foi de R$ 16,5 milhões, valor que ficou somente 200 mil abaixo do orçado pelo clube, mesmo sem um patrocinador máster no uniforme. Em 2020, a meta orçada está novamente próxima de ser batida.

São Paulo e Corinthians estão à frente do Peixe nesse quesito, mas mesmo assim fecharam o ano no vermelho. Entre patrocínio e publicidade, o Tricolor arrecadou R$ 23,2 milhões, enquanto o Timão recebeu R$ 73,2 milhões.

Siga o UOL Esporte no

Santos