PUBLICIDADE
Topo

Lateral do City quebra silêncio após furar quarentena e cita assédio

Divulgação/Manchester City
Imagem: Divulgação/Manchester City

Do UOL, em São Paulo

08/05/2020 08h31

O lateral Kyle Walker, que furou a quarentena contra o coronavírus na Inglaterra por três vezes - em uma delas, promoveu uma orgia -, quebrou o silêncio e fez um longo desabafo em seu Instagram.

No texto, o jogador afirmou se sentir assediado diante da repercussão de seus atos e revelou que sua família também está sendo afetada.

Walker ainda disse ter passado por "um dos períodos mais difíceis" de sua vida e que assume tal responsabilidade, mas pediu privacidade aos fotógrafos.

Leia o texto do lateral:

Sinto como se tivesse ficado em silêncio por tempo suficiente. Diante do artigo mais recente publicado sobre mim e minha família, sinto que não tenho escolha a não ser abordar publicamente as coisas.

Recentemente, passei por um dos períodos mais difíceis da minha vida, pelo qual assumo total responsabilidade. No entanto, agora sinto como se estivesse sendo assediado. Isso não está mais afetando somente a mim, mas também a saúde da minha família e dos meus filhos pequenos.

Em relação aos eventos da quarta-feira, viajei para Sheffield para dar um cartão e um presente de aniversário para minha irmã, mas também para falar com uma das poucas pessoas em que acredito que posso confiar em minha vida.

Ela me abraçou para me lembrar o quanto ela se importa e que eu sou amado. O que eu devo fazer: afastá-la?

Então, viajei para a casa dos meus pais para pegar algumas refeições caseiras. Novamente, foram dois meses extremamente difíceis para eles: tudo o que passei na minha vida eles passaram comigo.

O que meus pais e minha irmã fizeram para merecer suas privacidades sendo invadidas por fotógrafos que me seguem até suas casas?

Constantemente, sinto como se estivesse sendo seguido. Não me sinto seguro nos confins da minha própria casa: por que eles deveriam se sentir assim também? Quem merece isso? Estou em uma posição privilegiada como modelo e atleta profissional, e posso assegurar, desde a minha educação, que eu não tomo por garantido.

Mas em que estágio meus sentimentos são levados em consideração? Minha família foi despedaçada, isso foi arrastado pela imprensa e eu pergunto: quando é o suficiente?

No momento em que o foco está compreensivelmente na covid-19, em que ponto a saúde mental é levada em consideração, uma doença que afeta cada paciente de maneira diferente? Eu sou um ser humano, com sentimentos de dor e aborrecimento, como todo mundo.

Estar perante os olhos do público como atleta profissional não me torna imune a isso. É triste, mas me alimento como se minha vida estivesse sendo examinada sem nenhum contexto.

Eu entendo se as pessoas estão chateadas ou com raiva de mim, mas é importante que as pessoas tenham uma melhor compreensão da minha vida. Obrigado por dedicar um tempo para ouvir meus sentimentos.

Futebol